Porto Alegre, quinta-feira, 18 de outubro de 2018.
Dia do Médico.

Jornal do Comércio

COMENTAR | CORRIGIR

LONGEVIDADE

Notícia da edição impressa de 18/10/2018. Alterada em 18/10 às 08h26min

Envelhecer com saúde, mantendo o bem-estar

Os empresários Paulo Vellinho e Anton Karl Biedermann e o artista plástico Vitório Gheno conversaram com o doutor Gilberto Schwartsmann

Os empresários Paulo Vellinho e Anton Karl Biedermann e o artista plástico Vitório Gheno conversaram com o doutor Gilberto Schwartsmann


MARCO QUINTANA/JC
No dia 26 de setembro, o Jornal do Comércio recebeu três ícones da sociedade gaúcha para um debate sobre longevidade. Mediado pelo professor titular da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), doutor Gilberto Schwartsmann, o encontro reuniu os empresários Paulo Vellinho e Anton Karl Biedermann, e o artista plástico Vitório Gheno. Em cerca de uma hora de conversa, os três nonagenários contaram um pouco de suas histórias de vida e compartilharam dicas para envelhecer com saúde e bem-estar.
Além de pontos em comum destacados pelos três, como a prática de exercício físico e a adoção de uma dieta sem exageros, cada um dos participantes trouxe sua contribuição para pensarmos a questão da longevidade a partir de suas experiências. Vellinho, por exemplo, destacou a importância de ser ousado e fazer o que se gosta; Gheno lembrou como devemos manter a cabeça ativa com a leitura e o consumo da arte; e Biedermann, por sua vez, levantou a necessidade de sempre termos um objetivo de vida em mente. Confira, na sequência, algumas lições deixadas por eles.
> Confira o bate-papo com os três nonagenários no JC:

Anton Karl Biedermann pratica esportes

Biedermann já tem um objetivo traçado para 2019, quando completa 95 anos: bater um recorde mundial de natação
Biedermann já tem um objetivo traçado para 2019, quando completa 95 anos: bater um recorde mundial de natação
/MARCO QUINTANA/JC
Anton Karl Biedermann já tem um objetivo traçado para 2019, quando completa 95 anos: bater um recorde mundial de natação. Com cinco vitórias em cinco provas disputadas, nadando crawl e costas, no último campeonato Pan-Americano da categoria Master, Biedermann é um apaixonado pela natação desde pequeno. Ele figura no top 10 do mundo no ranking da Federação Internacional de Natação. Em Guaratinguetá, no interior de São Paulo, sua mãe o levava junto com sua irmã para nadar no rio Paraíba do Sul.
"Pratico exercício desde os sete anos. Existia, naquela época, um programa da Rádio Nacional, do Rio de Janeiro, que tinha 'a hora da ginástica'. Eles publicavam um mapa com diversos exercícios, e o locutor cantava os exercícios que você tinha que fazer em casa. Minha mãe sempre me incentivou a acompanhar o programa", lembra. Sua mãe, aliás, aparece constantemente como uma referência quando fala de hábitos que garantem sua longevidade. Na alimentação, por exemplo: "Minha mãe sempre recomendou o que ouço os médicos falarem até hoje: tem que comer de tudo um pouco", ensina.
Nascido em Rio Grande, tornou-se empresário, esportista e dirigente. Biedermann foi presidente do Grêmio Náutico União por quatro mandatos. É presidente honorário e, agora, também patrono do clube. Segue praticando natação nas piscinas do União, onde é figurinha carimbada e exemplo para os mais jovens. Recentemente, lançou a sua biografia, escrita pela jornalista Suzana Naiditch. O título do livro - "50 metros a mais" - é um indicativo de sua longevidade e de sua paixão pelo esporte.
Perguntado sobre seus planos para o futuro, ele deixa uma lição. Para Biedermann, viver bem, independentemente da idade, exige uma motivação, algo que nos faça acordar todos os dias. No caso dele, as próximas braçadas, que ainda devem ser muitas, não saem da sua cabeça. "Para viver bem, tem que se ter um objetivo de maior alcance, um plano. Ano que vem, penso em bater o recorde mundial. Não sei se vou conseguir, mas é o objetivo que tenho", projeta.
  • DICA AOS MAIS JOVENS: "Se preocupem com a saúde física e mental. Pratiquem exercícios físicos, evitem as drogas e as noitadas."
 

Paulo Vellinho faz o que gosta

Vellinho, 91 anos, credita sua longevidade ao fato de ter feito com prazer tudo o que fez
Minha longevidade está ligada ao fato de eu ter feito com prazer tudo o que eu fiz, sempre harmonizando trabalho e família, diz Vellinho, aos 91 anos
MARCO QUINTANA/JC
Quando perguntam a Paulo Vellinho qual é o seu hobby, ele responde sem hesitar: "nenhum". E logo emenda a explicação. Não se trata de não ter gostos pessoais, mas, pelo contrário, é sobre se dedicar com paixão a todas as tarefas do seu dia a dia. "Minha longevidade está ligada ao fato de eu ter feito com prazer tudo o que fiz, sempre harmonizando trabalho e família", explica. Essa é a lição número um de alguém que completou 91 anos no mês passado.
Vellinho diz enxergar uma longa caminhada quando olha para o seu passado. De fato, seu currículo é recheado. Líder empresarial, presidiu a Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs) e foi executivo da Coemsa e da Avipal. Entretanto, sempre se destacou pelo empreendedorismo no comando da Springer. Suas ações pioneiras, realizadas a partir da década de 1950, à frente da empresa de refrigeradores e condicionadores de ar, estão, inclusive, relatadas no livro "Paulo Vellinho - O realizador de um sonho chamado Springer", lançado neste ano.
Para se tornar um realizador de sonhos, o empresário destaca a necessidade de ser ousado sempre. "A inexperiência também é uma virtude. Quando olho para mim com 25 anos, não me reconheço. Minha ousadia chegava aos extremos, mas eu fazia tudo com naturalidade. Dessa maneira, fui abrindo caminhos e fazendo coisas que não imaginava", relata. Esse é o recado que ele costuma passar aos mais jovens que o procuram. "Estimulo que o jovem seja ousado, arrisque. O erro não é pecado, é parte do aprendizado. Quem não erra não faz nada, bota o pijama e fica em casa", ensina.
Mas como manter essa vitalidade mesmo após os 90 anos? Vellinho destaca a importância de seguir convivendo com gente jovem para se manter saudável. "Abasteço-me de amor à vida através dos jovens. Faz parte da vitalidade o convívio com gerações mais novas. O jovem me inspira", diz. Além disso, a dica é viver um dia de cada vez, sem angústias. "A vida a gente escreve todos os dias, a cada hora, a cada minuto, fazendo com amor o que se faz", completa.
  • DICA AOS MAIS JOVENS: "Não tem mágica, façam isto que está certo: invistam em educação e conhecimento."
 

Vitório Gheno consome arte e literatura

Aos 95 anos, Gheno vê no golfe uma oportunidade para seguir ativo, mas, principalmente, para trocar ideias com 
os amigos
Aos 95 anos, Gheno vê no golfe uma oportunidade para seguir ativo, mas, principalmente, para trocar ideias com os amigos
/MARCO QUINTANA/JC
Duas ou três vezes por semana, Vitório Gheno encontra um grupo de amigos no Country Club de Porto Alegre para partidas de golfe. No debate promovido pelo Medicina & Saúde, com o taco de golfe em mãos para tirar as fotos que ilustram estas páginas, ele esbanja vitalidade e confiança. É quando parece mais vontade. Não é à toa. Gheno vê no esporte uma oportunidade para seguir ativo e, principalmente, para trocar ideias com os companheiros. Considera a rotina de tacadas e caminhadas essencial para chegar bem aos 95 anos.
Natural de Muçum, interior do Estado, Gheno se mudou ainda criança para Porto Alegre. Inquieto, também morou na Argentina e em Paris antes de voltar à capital do Rio Grande do Sul. Embora tenha se encontrado profissionalmente como artista plástico, atuou em diversas áreas como ilustrador, designer de móveis, decorador, pintor, publicitário, gravurista e jornalista. Ficou conhecido, entre outros projetos, por decorar hotéis da antiga Rede Tropical e da Rede Plaza.
Ele considera a escolha da arte como decisão fundamental na sua longa trajetória de vida. Frequentador da antiga Livraria do Globo, foi contratado como ilustrador pela Editora Globo. "Nunca fiquei parado e tive a sorte de encontrar uma profissão ligada à arte. Comecei como ilustrador através da leitura. Lia e ilustrava muito. Foi assim que me interessei pela pintura e comecei com a aquarela. Aquilo me alertou sobre uma maneira de viver", recorda. Atua como artista plástico até hoje.
Gueno diz levar uma vida simples, rodeada de amigos, levando um dia de cada vez. É um otimista inveterado. Além das práticas esportivas, de uma dieta moderada e do hábito de tomar uma taça de vinho de vez em quando, prega um olhar voltado ao agora para diminuir as angústias do envelhecimento. "Acho o presente maravilhoso. Enxergo coisas boas no passado, mas, atualmente, está maravilhoso também. É importante viver pensando no presente", completa.
  • DICA AOS MAIS JOVENS: "Vivam sem exageros. Procurem as coisas boas da vida: esporte, livros, cinema."
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia