Porto Alegre, quinta-feira, 19 de maio de 2022.
Dia Nacional da Defensoria Pública.
Porto Alegre,
quinta-feira, 19 de maio de 2022.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Opinião

- Publicada em 19/05/2022 às 16h25min.

Dia do Acadêmico de Direito: os diferentes rumos proporcionados pela área

Artigos de renomados juristas gaúchos e do Brasil

Artigos de renomados juristas gaúchos e do Brasil


diagramação/jc
Vinicius Filipin
Quis o destino que duas datas comemorativas à Justiça também estivessem relacionadas aos estudantes. Na data de 19 de maio celebra-se o Dia do Defensor Público e do Acadêmico de Direito. No segundo semestre, em 11 de agosto, tem-se o Dia do Advogado e do Estudante. A coincidência, às vezes, gera alguma confusão, mas um dia especial em homenagem a quem se dedica a ser um profissional jurídico é de suma importância. Hoje, talvez ainda mais pela necessidade latente e constante de se reforçar que vivemos sob um Estado Democrático de Direito.
Quis o destino que duas datas comemorativas à Justiça também estivessem relacionadas aos estudantes. Na data de 19 de maio celebra-se o Dia do Defensor Público e do Acadêmico de Direito. No segundo semestre, em 11 de agosto, tem-se o Dia do Advogado e do Estudante. A coincidência, às vezes, gera alguma confusão, mas um dia especial em homenagem a quem se dedica a ser um profissional jurídico é de suma importância. Hoje, talvez ainda mais pela necessidade latente e constante de se reforçar que vivemos sob um Estado Democrático de Direito.
Além disso, a data contribui para chamar a atenção de todas as possibilidades que envolvem a área. No curso, a troca entre alunos que pensam seus futuros para lados distintos e docentes em diversas carreiras jurídicas proporciona imenso aprendizado. Ao ingressarem no curso de Direito, os estudantes deparam com uma gama de possibilidades: serem advogados(as), desembargadores(as), delegados(as), juízes(as) ou ainda trabalhar na Defensoria Pública ou no Ministério Público.
Alguns adentram as portas da universidade já com a ideia do que querem e permanecem com ela, outros deixam para trás as convicções iniciais e mudam em meio às disciplinas, e há os que chegam para se descobrirem - três processos lindos de se acompanhar. Mesmo aqueles que têm a destinação mostram-se maleáveis, justamente porque o curso é preparatório para todas as atividades e perfis.
Mais do que ciência jurídica, o Direito é, também, ciência social, o que faz dele uma construção inexata, permeada pelas mutações de avanços e retrocessos, normatizando e criando deveres e direitos em relação à sociedade. É também por isso que o Poder Judiciário enfrenta crises constantes, ele é o reflexo do contexto e do tempo vividos, sem dados nem exatidões.
Como profissionais jurídicos e acadêmicos de Direito, temos como missão proporcionar conciliação de conflitos, com o desafio de antever a mediação e determinar limites para mudanças e processos dentro da interpretação da lei. Outra premissa é garantir dignidade em qualquer condição, sempre entendendo a defesa dos Direitos Humanos como algo a se alcançar. Por meio de direitos fundamentais e poderes limitados (é necessário se autocontrolar e controlar uns aos outros), o Estado Democrático de Direito é o meio, e não o fim, para se alcançar a Justiça. Com o auxílio fundamental dos acadêmicos e seus sonhos, continuaremos trilhando esse caminho, que se transforma a todo momento, rumo ao encontro dela. A eles, parabéns pelo dia.
Professor de Direito da UniRitter
Conteúdo Publicitário
Comentários CORRIGIR TEXTO