Porto Alegre, sábado, 01 de setembro de 2018.
Feriado nos EUA - Dia do Trabalho.

Jornal do Comércio

COMENTAR | CORRIGIR

Feira

01/09/2018 - 16h32min. Alterada em 01/09 às 17h06min

Chuva afeta público e vendas nos últimos dias de Expointer

Com mau tempo, público encarou o passeio pelo parque na companhia do guarda-chuva

Com mau tempo, público encarou o passeio pelo parque na companhia do guarda-chuva


MATHEUS PICCINI/ESPECIAL/JC
A chuva reduziu o fluxo de visitantes neste sábado (1) ao Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio, sede da Expointer, e também afetou as vendas de um dos redutos mais procurados, os produtos das agroindústrias do Pavilhão da Agricultura Familiar.
A feira termina neste domingo (2), que também deve ser marcado pelo mau tempo. Em oito dias de Expointer, seis foram de sol - a chuva começou no fim da tarde de quinta-feira (30). A previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) é de tempo com fortes chuvas em algumas regiões gaúchas. 
Segundo a organização da feira, cerca de 300 mil pessoas passaram pelo parque até esta sexta-feira (31). A previsão ainda é tentar superar os 400 mil visitantes até o encerramento - em 2017, foram 411 mil pessoas nos nove dias de evento. Neste domingo, será divulgado o balanço de vendas e a avaliação da mostra.
Na agricultura familiar, com pavilhão que dobrou de tamanho e elevou de 198 agroindústrias, em 2017, para 285 este ano. A chuva interrompeu dias seguidos de comercialização com cifras que indicavam alta de 70 e até quase o dobro ante o resultado do ano passado.
O valor ficou em R$ 318,4 mil nessa sexta, 6% acima do registrado em 2017 no mesmo dia, que foi de R$ 299,6 mil, segundo a Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo, que coordena o local. No balanço do período, as vendas alcançaram R$ 2,72 milhões, 76% superior ao R$ 1,54 milhão dos primeiros sete dias de 2017.   

Último dia tem muitas atrações

Quem não se incomodar com a chuva, pode aproveitar ainda as atrações do último dia de Expointer. O parque abre as 8h e as pessoas podem ingressar até as 20h30min. Shows, parque de diversão e os animais são as opções. O Pavilhão da Agricultura Familiar deve ser muito procurado e muitos itens começam a faltar. 
No Pavilhão Internacional, na área central, há desde oficinas para degustar vinhos e espumantes, dicas de sommeliers e a Vitrine da Carne, que mostra os cortes de tivermos tipos. O público pode se acomodar na arquibancada e assistir e ainda tem provinhas de comidinhas.  
Para chegar, as opções são as BRs 448 e 116. Também pode ser mais tranquilo, para não enfrentar trânsito, pegar o trem metropolitano. A Trensub reforça a oferta dos horários. 
Os ingressos custam R$ 13,00 para o público e R$ 6 para estudantes, com apresentação da carteira oficial de estudante da UNE, UBES, UGES ou da carteira expedida por estabelecimentos de Ensino Médio, associação ou agremiação estudantil. A bilheteria aceita cartões. Pessoas entre 60 e 64 anos também pagam R$ 6,00, mas devem apresentar a carteira de identidade. Quem tem mais de 65 anos e crianças até seis anos, não pagam.
Automóveis ingressam pelo portão 15. O estacionamento custa R$ 32 por veículo, incluindo ingresso do motorista. As motos não podem ingressar no parque. O pagamento do estacionamento é apenas em dinheiro.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia