Porto Alegre, quinta-feira, 30 de agosto de 2018.
Dia da Conscientização sobre a Esclerose Múltipla.

Jornal do Comércio

COMENTAR | CORRIGIR

EXPONOTAS

Notícia da edição impressa de 30/08/2018. Alterada em 29/08 às 00h00min

Régua controla medida certa do pasto do gado

Ferramenta foi desenvolvida pela Embrapa, lembra Andréa Noronha

Ferramenta foi desenvolvida pela Embrapa, lembra Andréa Noronha


/PATRÍCIA COMUNELLO/ESPECIAL/JC
A Embrapa Sul de Bagé apresenta uma novidade que não tem nada de grandes tecnologias, como  sistemas digitais. A sacada foi reunir em um só lugar informações que ajudam produtores a controlar a hora certa de entrar com animais nas áreas com forrageiras. Daí surgiu a régua de manejo de pastagens, que pode ser conferida na Expointer, em Esteio. O material é simples, lembra até um cabo de vassoura. A Embrapa criou a primeira versão para a pecuária de corte e agora adaptou para a de leite, com as características de pastagens de cada atividade. A régua custa R$ 30,00. No Estado, a Afubra está negociando com fornecedores para a revenda regional.   
"É uma ferramenta de trabalho e serve para definir a entrada dos animais e qual é a altura do pasto que indica a necessidade de saída dos animais", explica Andréa Noronha, supervisora de transferência de tecnologia da Embrapa Clima Temperado, com sede em Pelotas. O sistema usa as cores vermelha e verde para definir os parâmetros de entrada e saída das vacas. A régua tem as orientações a serem seguidas no inverno e verão e ainda as forrageiras mais cultivadas no Rio Grande do Sul. "A parte vermelha indica quando os animais têm de ser retirados, e a verde é a altura de pastejo para cada cultivar. 
A demonstração é feita na área da Emater-RS no Parque Assis Brasil. Uma pequenas área tem pasto e até alguns terceiros para que possam se alimentar e ajudar na medição. "A vantagem é manter a capacidade de rebrote para o próximo pastejo", completa Andréa. O equipamento indica o que deve ser respeitado na altura para que a planta possa fazer fotossíntese. "Vários estudos feitos pela Embrapa indicam esta altura como a adequada. A régua é bem mais acessível e incorpora estas informações." 
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia