Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 23 de agosto de 2019.

Jornal do Comércio

Notícia da edição impressa de 19/08/2019.
Alterada em 23/08 às 09h53min
COMENTAR| CORRIGIR

O Futuro da Terra valoriza pesquisa no campo

Troféu será entregue no dia 26 de agosto durante a 42ª Expointer

Troféu será entregue no dia 26 de agosto durante a 42ª Expointer


João Mattos/Arquivo/JC
Carlos Vilella
Reconhecer pesquisas que contribuem para aperfeiçoar o desenvolvimento e o desempenho do agronegócio gaúcho é o objetivo do prêmio O Futuro da Terra, entregue pelo Jornal do Comércio em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (Fapergs). Neste ano, a distinção aos expoentes da pesquisa que beneficia diretamente o agronegócio será entregue no dia 26 de agosto, às 19h30min, no auditório da Farsul, localizado no Parque Estadual de Exposições Assis Brasil, em Esteio, durante a 42ª Expointer.
Ao todo, são oito premiados, distribuídos dentro das categorias Cadeia de Produção e Alternativas Agrícolas, Inovação e Tecnologia Rural, Preservação Ambiental e Startup do Agronegócio, além do Prêmio Especial. Os vencedores são selecionados por um colegiado especial, composto por membros do Comitê de Assessoramento Científico e Tecnológico da Área de Ciências Agrárias da Fapergs.
O diretor-presidente do JC, Mércio Tumelero, ressalta que a premiação reconhece boas iniciativas para o agronegócio, que tem um papel decisivo na economia do Rio Grande do Sul. "O agronegócio é fundamental para a economia gaúcha e nacional. Nada mais justo do que reconhecer aqueles que contribuem para o desenvolvimento da agropecuária através da tecnologia no campo e da preservação do meio ambiente", destaca.
Tumelero observa, ainda, a importância de estar atento a novidades do mercado, mencionando que a 23ª edição do prêmio O Futuro da Terra instituiu, pela primeira vez, o reconhecimento ao trabalho de startups do agronegócio. "São dois valores importantes que o Jornal do Comércio sempre buscou divulgar, o empreendedorismo e a inovação", aponta.
Segundo o diretor-presidente da Fapergs, Odir Antônio Dellagostin, o prêmio é muito importante por dar a oportunidade de reconhecer e valorizar as pessoas, entidades e empresas que desenvolvem trabalhos inovadores na área do agronegócio, e é resultado de uma percepção da importância de apoiar a inovação de forma expressiva. "Há 23 anos que estamos nessa caminhada juntos, e queremos continuar por muito tempo porque é muito importante para o Rio Grande do Sul", afirma.
Dellagostin aponta que o Estado se destaca como produtor de conhecimento, contribuindo com mais de 11% dos artigos científicos publicados no País, mesmo concentrando apenas 5% da população brasileira. "Nós somos mais produtivos do que a média dos outros estados. Isso nos coloca em evidência, mas não basta. Precisamos transformar conhecimento em riqueza." O dirigente comemora que os cientistas gaúchos estão engajados para isso, e que a produção de conhecimento contribui para aumentar a produtividade, reduzir custos e impacto ambiental, e desenvolver novos produtos. "A Fapergs tem procurado apoiar projetos de pesquisa de qualidade no Rio Grande do Sul, e esses projetos permitem a produção de conhecimento, permitem avanços nessa área que contribuem para a produção e o avanço do agronegócio no Estado", conclui.

Veja a lista completa de vencedores:

PRÊMIO ESPECIAL
STARTUP DO AGRONEGÓCIO
CADEIAS DE PRODUÇÃO E ALTERNATIVAS AGRÍCOLAS
INOVAÇÃO E TECNOLOGIA RURAL
PRESERVAÇÃO AMBIENTAL
COMENTAR| CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia