Porto Alegre, sexta-feira, 16 de outubro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 16 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Investimentos

- Publicada em 03h00min, 16/10/2020. Atualizada em 11h15min, 16/10/2020.

Um ano marcado por ampliação em hospitais e leitos

Hospital Vila Nova teve acréscimo de 66 leitos

Hospital Vila Nova teve acréscimo de 66 leitos


LUIZA PRADO/JC
Osni Machado
O ano de 2020, atípico pela pandemia da Covid-19, também ficará marcado como um período em que a rede de saúde em Porto Alegre, e também em todo o Rio Grande do Sul, recebeu investimentos. Houve ampliação na capacidade de atendimento em diversas regiões do Estado, criação de novos leitos e, especialmente, aumento no número de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), fator decisivo para dar uma resposta ao novo coronavírus.
O ano de 2020, atípico pela pandemia da Covid-19, também ficará marcado como um período em que a rede de saúde em Porto Alegre, e também em todo o Rio Grande do Sul, recebeu investimentos. Houve ampliação na capacidade de atendimento em diversas regiões do Estado, criação de novos leitos e, especialmente, aumento no número de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), fator decisivo para dar uma resposta ao novo coronavírus.
Além do monitoramento na rede, houve investimentos do governo do Estado e da prefeitura de Porto Alegre. Na Capital, um dos destaques foi o Hospital Vila Nova, na Zona Sul, que teve o acréscimo de 66 leitos.
No balanço de ações do governo do Estado no enfrentamento à Covid-19, com dados atualizados no fim de setembro, o relatório apresentou a criação de 951 novos leitos de UTIs adulto no Sistema Único de Saúde (SUS), o que representou um aumento de 102% da capacidade no Estado, que passou a contar com um número total de 1.884 leitos. Mas também houve investimentos no âmbito privado. Grandes hospitais fizeram aportes significativos. Instituições de saúde privada também expandiram sua atuação.

Obras de novo edifício do complexo Santa Casa avançam em Porto Alegre

Hospital Nora Teixeira vai abrigar a nova emergência da Santa Casa
Hospital Nora Teixeira vai abrigar a nova emergência da Santa Casa
SANTA CASA/DIVULGAÇÃO/JC
Alguns desses novos investimentos em saúde tiveram início ainda em 2019. É o caso da expansão do Complexo da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre. Após a doação de R$ 60 milhões feita pelo casal de empresários Nora Teixeira e Alexandre Grendene, está sendo erguido um prédio que irá abrigar a nova emergência do hospital, com 28 leitos voltados para atendimento ao Sistema Único de Saúde (SUS).
O empreendimento, que vai custar R$ 202 milhões, tem previsão de conclusão para março de 2022. Serão 30 mil metros quadrados de área, distribuídos em 15 pavimentos. Atualmente, oito lajes já estão edificadas.
O restante do valor necessário para o hospital - cujo nome será Nora Teixeira em homenagem à filantropa - deverá vir de novas doações que estão sendo articuladas pela própria Nora, além de financiamento via Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (Bndes).
A partir da inauguração, a emergência atual, no Santa Clara, será desativada, passando a fazer parte do saguão de entrada. Com isso o ingresso de pacientes pela urgência será pelo andar térreo do novo edifício, com acesso pela rua Professor Annes Dias, no Centro da Capital.
O novo hospital também disponibilizará dois postos de enfermagem, ampliação do número de posições de medicação de 12 para 18, ampliação do número de salas de acolhimento e consultórios e um Centro de Diagnóstico por Imagem dedicado à emergência, o que deve agilizar os atendimentos. 
 

Mãe de Deus vai investir R$ 144 milhões

O Hospital Mãe de Deus fará, ao longo dos próximos cinco anos, um investimento de R$ 144 milhões em expansão em Porto Alegre. Em 2020, o hospital entregou 10 leitos de CTI adulto e reabriu o serviço de traumatologia da unidade Carlos Gomes. Além disso, também foram reformados 105 leitos das unidades de internação. As obras de expansão do Mãe de Deus devem ser finalizadas em 2025.
Outra instituição de saúde que faz investimentos é o Hospital Moinhos de Vento, que inaugurou em outubro sua unidade no hub da saúde, em Canoas, investimento de
R$ 20 milhões. Outra iniciativa prevê R$ 54,3 milhões para obras e projetos de expansão do Moinhos.
 

Iniciativa privada banca unidade para atender Covid

Com 60 leitos exclusivos para o SUS, nova ala foi construída em 60 dias
Com 60 leitos exclusivos para o SUS, nova ala foi construída em 60 dias
/LUIZA PRADO/JC
Construído em tempo recorde, um novo centro de tratamento para pacientes infectados pelo novo coronavírus foi aberto em junho em Porto Alegre. Anexo ao Hospital Independência, o espaço conta com 60 leitos para o Sistema Único de Saúde (SUS). O projeto saiu do papel por meio da união entre empresas.
A Gerdau e a Ipiranga doaram R$ 4,2 milhões cada, com a primeira fornecendo 400 toneladas de aço e o conhecimento na montagem de estruturas de metal, e a segunda, com apoio na gestão e na coordenação do projeto. O Grupo Zaffari contribuiu com R$ 2 milhões, totalizando um investimento de R$ 10,4 milhões. O Hospital Moinhos de Vento também colaborou com protocolos, materiais e medicamentos. A gestão é da Rede de Saúde Divina Providência.
O hospital foi uma das obras de execução - pelo método modular - mais rápidas na história do País. Os equipamentos internos da nova unidade, como partes hidráulicas e elétricas, são construídas em fábrica, levadas para o canteiro de obras, e lá foram conectadas.
Leia mais:
Comentários CORRIGIR TEXTO