Porto Alegre, segunda-feira, 16 de julho de 2018.
Dia do Comerciante .

Jornal do Comércio

COMENTAR | CORRIGIR

tecnologia

Notícia da edição impressa de 16/07/2018. Alterada em 15/07 às 23h00min

Varejistas podem interagir com o público em diversos canais

Hoje, montar uma loja virtual já é muito mais simples e barato

Hoje, montar uma loja virtual já é muito mais simples e barato


Katemangostar/KATEMANGOSTAR/FREEPIK.COM/DIVULGAÇÃO/JC
Para quem está pensando que se relacionar com o público em muitos canais é passo muito maior do que a sua pequena perna, a notícia é boa. De acordo com o professor de Marketing Digital da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (Pucrs) e fundador da consultoria em e-commerce Lucro Digital, Ulisses Giorgi, a base para a construção de um perfil multicanal eficiente é um CRM adequado - a sigla significa Customer Relationship Management e define o software que possibilita o gerenciamento dos canais de relacionamento.
No passado, a licença para obter ferramentas como essa era restrita às grandes empresas, com maior poder econômico, em função do alto custo. Hoje, devido aos avanços tecnológicos, o investimento já não é obstáculo tão intransponível para as empresas menores. "Há 10 anos, para se ter um CRM muito bom, era preciso comprar servidores caríssimos, que ficavam obsoletos em dois anos. Hoje, essa tecnologia está 'uberizada', ou seja, disponível na nuvem, para aluguel. Isso não quer dizer que seja muito barato; mas, ao menos, já está ao alcance de um número muito maior de empresas e marcas", explica o professor.
Montar uma loja virtual, desafio que parecia impossível para muitos, também é muito mais simples e barato, já que o fenômeno da "uberização" também chegou às plataformas de varejo on-line. Com as ferramentas em estilo X-Tech, por exemplo, basta pagar um aluguel por mês e montar a loja sobre ela. "Quem tem loja física, e não tem e-commerce, está deixando dinheiro sobre a mesa. O comércio virtual não vai matar o físico, mas pode complementá-lo", sentencia Giorgi.

O varejo do futuro

  • Em 2014, 35% dos consumidores brasileiros usavam sites para smartphones ao menos uma vez por semana durante a jornada de compra
  • Em 2018, 56% dos consumidores brasileiros ficam felizes quando um varejista identifica que estão próximos e envia ofertas personalizadas para seu dispositivo móvel
  • De 2014 para 2018, o número de pessoas que compram online ao menos uma vez por mês saltou de 58% para 65%
  • Em 2014, 47% dos consumidores estavam preocupados com a segurança ao comprar via smartphone. Este receio caiu para 29% em 2017
Fonte: Pesquisa Global Consumer Insights Survey 2018,da Consultoria PwC
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia