Porto Alegre, quarta-feira, 17 de novembro de 2021.
Porto Alegre,
quarta-feira, 17 de novembro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Saúde

- Publicada em 17/11/2021 às 21h08min.

Brasil notifica 374 mortes por Covid nas últimas 24h; média móvel é de 260

No intervalo de 24 horas, os novos casos notificados da doença ficaram em 12.432

No intervalo de 24 horas, os novos casos notificados da doença ficaram em 12.432


YASUYOSHI CHIBA/afc/jc
O Brasil registrou 374 mortes por Covid-19 nesta quarta-feira (17). No total acumulado, já são mais de 611.898 óbitos notificados desde o início da pandemia, de acordo com os dados do consórcio de veículos de imprensa.
O Brasil registrou 374 mortes por Covid-19 nesta quarta-feira (17). No total acumulado, já são mais de 611.898 óbitos notificados desde o início da pandemia, de acordo com os dados do consórcio de veículos de imprensa.
Não houve registro de mortes pela infecção nos Estados do Acre, Amapá, de Roraima e Rondônia. A média móvel semanal, que elimina as distorções entre dias úteis e fim de semana, é de 260, ainda abaixo de 300 pelo 17º dia seguido.
No intervalo de 24 horas, os novos casos notificados da doença ficaram em 12.432. O País chegou aos 21.976.724 casos da infecção desde março de 2020, quando começaram a ser contabilizados. A média móvel de casos nos últimos sete dias é de 9.335.
Os dados diários são reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa, que é formado por Estadão, g1, O Globo, Extra, Folha e UOL, em parceria com 27 secretarias estaduais de Saúde, em balanço divulgado às 20 horas.
Os números do Painel Covid, sistema de monitoramento do Ministério da Saúde, mostram que o país registrou 373 mortes, com 611.851 no total. Em relação à quantidade de casos, foram notificados 11.977 casos. Até hoje, 21.977.661.
O balanço de óbitos e de casos é resultado da parceria entre os seis meios de comunicação que passaram a trabalhar, desde 8 de junho do ano passado, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 Estados e no Distrito Federal. A iniciativa inédita é uma resposta à decisão do governo Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia, mas foi mantida após os registros governamentais continuarem a ser divulgados.
Agência Estado
Conteúdo Publicitário
Comentários CORRIGIR TEXTO