Porto Alegre, quarta-feira, 12 de maio de 2021.
Dia da Enfermagem.
Porto Alegre,
quarta-feira, 12 de maio de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

saúde

- Publicada em 20h53min, 12/05/2021. Atualizada em 21h04min, 12/05/2021.

Saúde autoriza municípios gaúchos a vacinarem professores com doses excedentes

Vacinação dos educadores é uma reivindicação da categoria para a retomada das aulas presenciais

Vacinação dos educadores é uma reivindicação da categoria para a retomada das aulas presenciais


MARIANA ALVES/JC
Os municípios do Rio Grande do Sul que tiverem doses excedentes e remanescentes de vacina contra a Covid-19 estão autorizados a imunizar pessoas de demais grupos prioritários, como professores e funcionários da área da educação. A decisão foi acertada em reunião da Secretaria da Saúde (SES) e do Conselho das Secretarias Municipais da Saúde (Cosems) nesta quarta-feira (13).
Os municípios do Rio Grande do Sul que tiverem doses excedentes e remanescentes de vacina contra a Covid-19 estão autorizados a imunizar pessoas de demais grupos prioritários, como professores e funcionários da área da educação. A decisão foi acertada em reunião da Secretaria da Saúde (SES) e do Conselho das Secretarias Municipais da Saúde (Cosems) nesta quarta-feira (13).
A medida permite que os municípios gaúchos avancem na imunização dos grupos prioritários, seguindo a lista do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação (PNO), conforme a realidade local. A permissão vinha sendo estudada pelo governo Leite de forma que o Estado não fosse penalizado por descumprir a ordem de imunização recomendada pelo Ministério da Saúde. A vacinação dos professores é um reivindicação da categoria para a retomada das aulas presenciais, já autorizadas pelo Piratini
A Saúde estadual considera doses excedentes as que ficam disponíveis após completar 90% da população estimada do público prioritário vigente. Já as doses remanescentes são as chamadas "xepas", que sobram nos frascos abertos ao final do dia e que não podem ser reaproveitadas no dia seguinte.
Cidades como Esteio e São Leopoldo, na Região Metropolitana da Capital, já haviam iniciado a vacinação de professores com as doses excedentes de outros grupos prioritários. A prefeitura de Porto Alegre também demonstrou intenção de avançar com a estratégia.
"Os municípios que tiverem doses excedentes da AstraZeneca que estavam destinadas às gestantes e puérperas, por exemplo, podem usar para vacinar os outros grupos", exemplificou a secretária da Saúde, Arita Bergmann, em nota divulgada pelo governo do Estado.
As prefeituras têm autonomia para decidir se utilizam as doses para continuar vacinando comorbidades (baixando a faixa etária) ou para vacinar pessoas do grupo subsequente na lista de grupos prioritários. No caso dos trabalhadores da educação, a orientação estadual é de que a imunização seja iniciada pelos profissionais que trabalham com educação infantil, como creches e pré-escolas.
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário