Porto Alegre, segunda-feira, 05 de abril de 2021.
Dia dos Fabricantes de Materiais de Construção.
Porto Alegre,
segunda-feira, 05 de abril de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

saúde

- Publicada em 17h21min, 05/04/2021. Atualizada em 17h53min, 05/04/2021.

Com mais 101 mortes, Rio Grande do Sul soma 20,6 mil vidas perdidas pela Covid-19

Ocupação das UTIs voltou a cair no Estado; em Porto Alegre, lotação segue acima de 100%

Ocupação das UTIs voltou a cair no Estado; em Porto Alegre, lotação segue acima de 100%


PATRICIA COMUNELLO/ESPECIAL/JC
Mais 101 mortes relacionadas à Covid-19 foram confirmadas pela Saúde do Rio Grande do Sul nesta segunda-feira (5). Com a atualização, o Estado abre a semana somando 20.600 vidas perdidas desde o início da pandemia. No feriadão de Páscoa, foram contabilizadas 433 mortes de sexta a domingo.
Mais 101 mortes relacionadas à Covid-19 foram confirmadas pela Saúde do Rio Grande do Sul nesta segunda-feira (5). Com a atualização, o Estado abre a semana somando 20.600 vidas perdidas desde o início da pandemia. No feriadão de Páscoa, foram contabilizadas 433 mortes de sexta a domingo.
O painel de monitoramento da Secretaria Estadual de Saúde confirmou 906 casos positivos de coronavírus nas últimas 24 horas. São 860.924 infecções ao todo, com 96% dos casos já recuperados. 
A ocupação de leitos de UTI voltou a mostrar leve queda no Estado, mantendo a tendência dos últimos dias. A taxa está em 95,4%, com 3.241 pacientes internados em 3.399 leitos de UTI. Desses, 2.376 são pacientes com Covid-19. Outros 136 ainda aguardam confirmação para a doença. 
Já em Porto Alegre, a lotação das UTIs segue acima de 100%. A taxa era de 104,3% no fim da tarde desta segunda. São 759 pessoas internadas com Covid-19 precisando de leitos de unidade intensiva na Capital. A boa notícia é que, em 11 dias, a cidade teve redução de 110 pessoas internadas em leitos intensivos por coronavírus.
Comentários CORRIGIR TEXTO