Porto Alegre, quinta-feira, 01 de abril de 2021.
Dia da Mentira.
Porto Alegre,
quinta-feira, 01 de abril de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

SAÚDE

- Publicada em 19h47min, 01/04/2021. Atualizada em 23h42min, 01/04/2021.

Novo lote de vacinas no RS beneficiará idosos de 65 anos e servidores da segurança

Mais de 645 mil doses de imunizantes começam a ser distribuídas nesta sexta-feira

Mais de 645 mil doses de imunizantes começam a ser distribuídas nesta sexta-feira


CRISTINE ROCHOL/PMPA/JC
A chegada ao Rio Grande do Sul do maior lote de vacinas contra a Covid-19, nesta quinta-feira (1), com distribuição já programada das mais de 645 mil doses para sexta-feira (2), permitirá a ampliação da imunização de idosos com 65 anos, além do novo grupo prioritário dos profissionais das forças de segurança.
A chegada ao Rio Grande do Sul do maior lote de vacinas contra a Covid-19, nesta quinta-feira (1), com distribuição já programada das mais de 645 mil doses para sexta-feira (2), permitirá a ampliação da imunização de idosos com 65 anos, além do novo grupo prioritário dos profissionais das forças de segurança.
Segundo o governo do Estado, parte das vacinas será reservada para aplicação das segundas doses. A Secretaria Estadual da Saúde (SES) também orientou os municípios a manterem a programação vacinal durante o feriadão de Páscoa.
O lote, enviado pelo Ministério da Saúde, será destinado à primeira dose de quem tem 65 anos e para completar a primeira aplicação na população de 66 anos ou mais e dos servidores da segurança. Além disso, garantirá a segunda dose dos que foram imunizados com as remessas da vacina CoronaVac/Instituto Butantan que chegaram ao Estado em 9 e 17 de março, e com a de Oxford/AstraZeneca, recebida em 24 de janeiro.
A decisão do grupo a ser vacinados a partir deste final de semana foi consolidada na manhã desta quinta em reunião da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), que trata da organização e funcionamento das ações e serviços de saúde integrados.
O colegiado é formado por gestores estaduais e municipais de saúde, com participação do Conselho das Secretarias Municipais de Saúde do Rio Grande do Sul (Cosems-RS), equipe diretiva da SES, e contou com a presença do vice-governador e secretário da Segurança Pública, Ranolfo Vieira Júnior.
A antecipação da vacina para o grupo prioritário de forças de segurança e salvamento beneficiará servidores diretamente envolvidos nas ações do enfrentamento à Covid-19, que estejam atuando em funções específicas de apoio às ações da pandemia.
São trabalhadores que fazem atendimento ou transporte de pacientes, resgate e atendimento pré-hospitalar e ações de vacinação e vigilância das medidas de distanciamento social. Os demais trabalhadores desse grupo serão vacinados seguindo o atual ordenamento do Plano Nacional de Imunizações (PNI).
O grupo inclui 29 mil trabalhadores da Polícia Civil, Brigada Militar, Corpo de Bombeiros Militar, Polícia Rodoviária Federal, guardas municipais e funcionários da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe). Em próxima fase, deverão ser contemplados os servidores do Departamento Estadual de Trânsito (DetranRS) e do Instituto-Geral de Perícias (IGP).
Segundo o vice-governador, “esses trabalhadores estão auxiliando no combate à pandemia, e a inclusão vai beneficiar quem está efetivamente trabalhando diretamente com pacientes Covid”, disse Vieira Júnior.

Públicos a serem vacinados nos próximos dias no RS:

• Reserva para segunda dose de 100% do público que se vacinou co  a CoronaVac que chegou ao Estado em 9 de março;
• Reserva para segunda dose de 63% do público que se vacinou com o lote de CoronaVac que chegou ao Estado em 17 de março (considerando a previsão de chegada de mais vacinas na próxima semana para fechar 100%);
• Reserva para segunda dose de 100% do público que se vacinou com o lote de Oxford/AstraZeneca que chegou ao Estado em 24 de janeiro;
• Completar a vacinação de idosos de 66 anos ou mais ainda não imunizados com a primeira dose;
• Iniciar a vacinação de idosos de 65 anos;
• Forças de segurança e salvamento.
Comentários CORRIGIR TEXTO