Porto Alegre, quarta-feira, 24 de março de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 24 de março de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Coronavírus

- Publicada em 20h47min, 24/03/2021. Atualizada em 20h54min, 24/03/2021.

AstraZeneca nega formação de estoque de vacinas na Itália, após inspeção da UE

O restante será destinado aos membros do bloco

O restante será destinado aos membros do bloco


MIGUEL RIOPA/AFP/JC
A AstraZeneca negou nesta quarta-feira (24) a existência de um estoque de vacinas contra coronavírus na Itália, depois que uma inspeção da União Europeia encontrou 29 milhões de doses em um fábrica na cidade de Anagni, na região central do país. Em comunicado divulgado nesta quarta, a farmacêutica afirmou que é "incorreto descrever o lote como estoque".
A AstraZeneca negou nesta quarta-feira (24) a existência de um estoque de vacinas contra coronavírus na Itália, depois que uma inspeção da União Europeia encontrou 29 milhões de doses em um fábrica na cidade de Anagni, na região central do país. Em comunicado divulgado nesta quarta, a farmacêutica afirmou que é "incorreto descrever o lote como estoque".
Segundo a nota, não há exportações previstas no momento na região, a não ser para o programa Covax, da Organização Mundial da Saúde (OMS). Do total, 13 milhões de doses aguardam o aval do setor de controle de qualidade da UE para serem enviadas a países de baixa renda. O restante será destinado aos membros do bloco.
A empresa acrescenta que o produto foi fabricado no exterior e mandado para a fábrica, onde foi colocado em frascos. "O processo de manufatura de vacinas é muito complexo e demanda tempo. Em particular, as doses devem esperar liberação de qualidade de controle após os frascos serem completos", explica.
Em meio à imunização lenta, a UE impôs uma série de restrições a exportações de vacinas. O bloco tem reclamado que a AstraZeneca, em particular, não cumpre as obrigações de entregas firmadas em contratos assinados no ano passado.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO