Porto Alegre, quinta-feira, 18 de março de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 18 de março de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

saúde

- Publicada em 17h55min, 18/03/2021.

Comitê UFPel Covid alerta para aumento de casos, internações e óbitos no RS

Grupo da Universidade Católica de Pelotas vem acompanhando a evolução da pandemia

Grupo da Universidade Católica de Pelotas vem acompanhando a evolução da pandemia


REPRODUÇÃO FLICKR UFPEL/JC
O Comitê UFPel Covid-19 emitiu, nesta quinta-feira (18), nota técnica para alertar a população sobre o aumento dos casos, óbitos e internações por Covid-19 no Rio Grande do Sul. Chamando atenção para a necessidade de reforço às medidas restritivas, o grupo frisa que somente com a vacinação em massa da população será possível "retomar à vida aos níveis próximos da normalidade.”
O Comitê UFPel Covid-19 emitiu, nesta quinta-feira (18), nota técnica para alertar a população sobre o aumento dos casos, óbitos e internações por Covid-19 no Rio Grande do Sul. Chamando atenção para a necessidade de reforço às medidas restritivas, o grupo frisa que somente com a vacinação em massa da população será possível "retomar à vida aos níveis próximos da normalidade.”
"Apesar do Estado estar sob restrições da bandeira preta, sem cogestão, há 19 dias, o distanciamento social implementado aparentemente ajudou para não acelerar ainda mais a taxa de transmissão, mas até o momento não foi suficiente para frear a pandemia em nível local", diz o texto. 
A nota técnica também busca conscientizar a população para a situação de Pelotas. Na terça-feira (16), a prefeitura do município relatou que faltavam leitos de UTI para 17 pessoas, que necessitavam de tratamento intensivo, por conta do agravamento da doença. Segundo o comitê, o índice de isolamento social no período "não apresentou valores recomendados – no mínimo 60% – e o colapso do sistema de saúde em nível local pode ser observado pelo comunicado oficial da prefeitura de Pelotas." 
O Comitê UFPel Covid também ressalta que, com o ritmo lento de vacinação, a única alternativa seria um lockdown por um período de 14 dias, para interromper a cadeia de transmissão do vírus e reduzir o número de novos casos. "Alguns municípios brasileiros entenderam a necessidade premente desta dura medida e já evidenciaram efeito positivo. Entendemos os prejuízos econômicos decorrentes desta medida drástica. Entretanto, cabe-nos ressaltar que a continuidade de ações por curtos períodos não tem sido suficiente para o combate à pandemia, onde a longo prazo as perdas econômicas tendem a ser maiores se comparadas a uma única interrupção efetiva de maior duração."
A nota técnica ainda destaca a experiência de outros países: "Quando há uma progressão rápida da epidemia, como a que estamos vivenciando, com colapso do sistema de saúde, precisamos de medidas imediatas efetivas."
Ao final do texto, o comitê salienta que "os esforços imediatos para salvar parte das milhares de vidas perdidas diariamente no País devem ser acompanhadas de todos os esforços das três esferas de poder e da sociedade como um todo", para a compra e aceleração do ritmo de vacinação no país. 
Comentários CORRIGIR TEXTO