Porto Alegre, sexta-feira, 26 de fevereiro de 2021.
Dia do Comediante.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 26 de fevereiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Saúde

- Publicada em 15h58min, 26/02/2021. Atualizada em 16h00min, 26/02/2021.

17 capitais brasileiras têm taxa de ocupação de UTI acima de 80%, aponta Fiocruz

Nos últimos, porém, a situação da pandemia tem se agravado na região sul do País

Nos últimos, porém, a situação da pandemia tem se agravado na região sul do País


ADEK BERRY/AFP/JC
Um novo boletim do Observatório Covid-19, da Fiocruz, aponta 17 capitais brasileiras com ocupação de leitos de UTI de pelo menos 80%. A informação foi antecipada pelo jornal Folha de S.Paulo. De acordo com o levantamento, 12 Estados e o Distrito Federal se encontram em "zona de alerta crítica".
Um novo boletim do Observatório Covid-19, da Fiocruz, aponta 17 capitais brasileiras com ocupação de leitos de UTI de pelo menos 80%. A informação foi antecipada pelo jornal Folha de S.Paulo. De acordo com o levantamento, 12 Estados e o Distrito Federal se encontram em "zona de alerta crítica".
As situações mais graves foram registradas em Porto Velho, com 100% dos leitos de UTI para tratamento da Covid-19 ocupados, Florianópolis (96,2%), Manaus (94,6%), Fortaleza (94,4%), Goiânia (94,4%) e Teresina (93,0%). Curitiba (90%), Natal (89,0%), Rio Branco (88,7%), São Luís (88,1%), Campo Grande (85,5%), Rio de Janeiro (85%), Porto Alegre (84%), Salvador (82,5%), Boa Vista (82,2%), Palmas (80,2%) e Recife (80%) completam a lista.
A análise se refere às semanas epidemiológicas 5, 6 e 7 de 2021, que abrangem o período de 31 de janeiro a 20 de fevereiro. Nos últimos, porém, a situação da pandemia tem se agravado na região sul do País.
"O Brasil apresentou uma média de 46 mil casos, valor mais elevado que o verificado em meados do ano passado, e média de 1.020 óbitos por dia ao longo das primeiras semanas de fevereiro. Nenhum estado apresentou tendência de queda no número de casos e óbitos", destaca o documento elaborado pelo Observatório, que acrescenta ainda que as incidências de Síndromes Respiratórias Agudas Graves (SRAG) no País permanecem em nível muito alto em todos os Estados.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO