Porto Alegre, terça-feira, 23 de fevereiro de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 23 de fevereiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Saúde

- Publicada em 10h00min, 23/02/2021. Atualizada em 10h29min, 23/02/2021.

Anvisa concede registro definitivo para a vacina da Pfizer

A  vacina teve sua segurança, qualidade e eficácia aferidas e testadas pela equipe técnica da Anvisa

A vacina teve sua segurança, qualidade e eficácia aferidas e testadas pela equipe técnica da Anvisa


BRENDAN SMIALOWSKI/AFP/JC
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou nesta terça-feira (23) que concedeu o registro definitivo para uso da vacina contra a Covid-19 produzida pela farmacêutica norte-americana Pfizer em parceria com empresa de biotecnologia alemã BioNtech. Essa é a primeira vacina a receber o registro definitivo. Até então, a agência só havia concedido autorização para uso emergencial, caso das vacinas Coronavac, produzida pelo laboratório Sinovac em parceria com o Butatan, e da Oxford/Astrazeneca, produzida pela Fiocruz
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou nesta terça-feira (23) que concedeu o registro definitivo para uso da vacina contra a Covid-19 produzida pela farmacêutica norte-americana Pfizer em parceria com empresa de biotecnologia alemã BioNtech. Essa é a primeira vacina a receber o registro definitivo. Até então, a agência só havia concedido autorização para uso emergencial, caso das vacinas Coronavac, produzida pelo laboratório Sinovac em parceria com o Butatan, e da Oxford/Astrazeneca, produzida pela Fiocruz
A vacina da Pfizer teve sua segurança, qualidade e eficácia aferidas e testadas pela equipe técnica de servidores da Anvisa. O pedido de registro foi encaminhada pela fabricante no dia 6 de fevereiro.
"Esperamos que outras vacinas estejam em breve, sendo avaliadas e aprovadas", disse o diretor-presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres. 
Apesar do registro definitivo para a vacina da Pfizer, o governo federal não negociou a compra dos imunizantes da fabricante. No fim de dezembro, a Pfizer afirmou que não faria pedido para uso emergencial da sua vacina no Brasil e que seguiria o processo de submissão diretamente para um registro definitivo. À época, a empresa disse considerar o procedimento “mais célere”, além de mais amplo.
A Anvisa ressalta que o registro não é uma decisão da diretoria colegiada da agência - só necessita da publicação no Diário Oficial que deve acontecer em uma edição extra nesta terça-feira. É uma decisão da área técnica.
Comentários CORRIGIR TEXTO