Porto Alegre, terça-feira, 19 de janeiro de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 19 de janeiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Coronavírus

- Publicada em 16h29min, 19/01/2021.

Rio Grande do Sul ultrapassa a marca de 10 mil mortes por Covid-19

RS chegou às 10 mil mortes no dia 318 da pandemia entre os gaúchos

RS chegou às 10 mil mortes no dia 318 da pandemia entre os gaúchos


MICHAEL DANTAS/AFP/JC
Juliano Tatsch
A segunda-feira, 18 de janeiro, foi um dia histórico para o Rio Grande do Sul, com os primeiros gaúchos recebendo a vacina contra o novo coronavírus. Porém, se a segunda-feira ficou marcada como o dia da esperança, com a chegada daquela que pode representar o início do fim da pandemia, a terça-feira (19) foi de uma marca ruim, que reforça a importância da imunização em massa: o Estado ultrapassou 10 mil mortes causadas pela Covid-19.
A segunda-feira, 18 de janeiro, foi um dia histórico para o Rio Grande do Sul, com os primeiros gaúchos recebendo a vacina contra o novo coronavírus. Porém, se a segunda-feira ficou marcada como o dia da esperança, com a chegada daquela que pode representar o início do fim da pandemia, a terça-feira (19) foi de uma marca ruim, que reforça a importância da imunização em massa: o Estado ultrapassou 10 mil mortes causadas pela Covid-19.
Com 84 novas mortes neste 318º dia da pandemia em território gaúcho, o RS alcançou 10.051 óbitos. A primeira morte causada pela doença em território gaúcho foi confirmada no dia 23 de abril do ano passado. O acompanhamento do ritmo dos óbitos ocasionados pelo vírus Sars-Cov-2 mostra como a pandemia tem tido momentos de rápida aceleração e outros de desaceleração mais lenta da letalidade.
O Rio Grande do Sul levou 108 dias entre a primeira morte e a morte de número mil causadas pelo novo coronavírus, registrada em 10 de julho. Já entre as mortes de número mil e dois mil, passaram apenas 20 dias. O intervalo de tempo caiu para 19 dias entre as mortes dois mil e três mil, voltando a ser de 20 dias ente as mortes três e quatro mil, indicando uma certa estabilidade no ritmo dos óbitos, que se davam com celeridade.
Entre as mortes cinco e seis mil – entre 2 de outubro e 3 de novembro -, o período de tempo transcorrido foi de 32 dias, o que apontava para uma desaceleração nos óbitos, o que era uma boa e esperançosa notícia.
Entretanto, esse período caiu para 26 dias entre as mortes de número seis mil e sete mil (entre 3 e 29 de novembro). Com a chegada do mês de dezembro, esses espaços de tempo despencaram, mostrando que a crise sanitária se intensificara no Estado.
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2021/01/19/206x137/1_periodo_a_cada_mil_mortes-9230956.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'6007114ac4734', 'cd_midia':9230956, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2021/01/19/periodo_a_cada_mil_mortes-9230956.jpg', 'ds_midia': 'Período de tempo transcorrido a cada mil mortes por Covid-19 no Rio Grande do Sul', 'ds_midia_credi': 'Arte/JC', 'ds_midia_titlo': 'Período de tempo transcorrido a cada mil mortes por Covid-19 no Rio Grande do Sul', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '517', 'align': 'Left'}
Entre as mortes sete e oito mil, se passaram somente 16 dias (de 29 de novembro a 15 de dezembro). Na sequência, bastaram apenas 15 dias (15 a 30 de dezembro) para que o Rio grande do Sul saísse dos oito mil e chegasse nos nove mil óbitos causados pela Covid-19.
Em janeiro, por sua vez, o ritmo voltou a cair um pouco, retomando o percebido em julho e agosto do ano passado. Foram necessários 20 dias (30 de dezembro a 19 de janeiro) para que o total de mortes passasse de nove para 10 mil.
Comentários CORRIGIR TEXTO