Porto Alegre, quarta-feira, 13 de janeiro de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 13 de janeiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Saúde

- Publicada em 17h51min, 13/01/2021. Atualizada em 17h54min, 13/01/2021.

União Química fecha acordo com RDIF para 10 milhões de doses da Sputnik V no Brasil

A Sputnik V já foi aprovada em emergência por Argentina, Bolívia, Argélia, Sérvia e Palestina

A Sputnik V já foi aprovada em emergência por Argentina, Bolívia, Argélia, Sérvia e Palestina


Andres LARROVERE/AFP/JC
O Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF,na sigla em inglês) anunciou, nesta quarta-feira (13) uma parceria com a União Química para o fornecimento de 10 milhões de doses da vacina russa Sputnik V contra a Covid-19 no Brasil. Segundo comunicado, os imunizantes serão entregues no primeiro trimestre de 2021, com início já em janeiro.
O Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF,na sigla em inglês) anunciou, nesta quarta-feira (13) uma parceria com a União Química para o fornecimento de 10 milhões de doses da vacina russa Sputnik V contra a Covid-19 no Brasil. Segundo comunicado, os imunizantes serão entregues no primeiro trimestre de 2021, com início já em janeiro.
Como parte do acordo, a RDIF deve facilitar a transferência de tecnologia e fornecer biomateriais para o começo da produção no País. O fundo russo, junto à União Química, deve solicitar à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) permissão para uso emergencial da vacina ainda essa semana.
A Sputnik V já foi aprovada em emergência por Argentina, Bolívia, Argélia, Sérvia e Palestina.
Segundo o anúncio, funcionários brasileiros da Embaixada na Rússia já estão sendo vacinados. Kirill Dmitriev, CEO do RDIF, e Fernando De Castro Marques, presidente da União Química, debateram a possibilidade de propor aos outros países membros do Brics (Índia, China e África do Sul) a criação de uma força-tarefa para combater a covid-19 e pela cooperação na obtenção de imunizantes.
"Nossos parceiros da União Química foram um dos primeiros no mundo a se interessar pela vacina russa Sputnik V. Do nosso lado, estamos prontos para uma cooperação em larga escala no abastecimento e na produção para iniciar a vacinação da população do Brasil o mais rápido possível", afirmou Dmitriev.
Uma delegação da União Química deve visitar as linhas de produção do Sputnik V na Rússia. O imunizante, que custa dez dólares por injeção, tem uma eficácia acima de 90% em casos graves da covid-19 e pode ser armazenado entre 2ºC a 8ºC, temperaturas de geladeiras convencionais.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO