Porto Alegre, quinta-feira, 07 de janeiro de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 07 de janeiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Saúde

- Publicada em 21h16min, 07/01/2021. Atualizada em 21h17min, 07/01/2021.

Em 2ª reunião com Anvisa, Butantan não faz pedido uso emergencial da Coronavac

Com eficácia de 78% da vacina contra a Covid-19 desenvolvida em parceria com a Sinovac

Com eficácia de 78% da vacina contra a Covid-19 desenvolvida em parceria com a Sinovac


AFP/DIVULGAÇÃO/JC
Após mais uma reunião nesta quinta-feira (7) com técnicos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o Instituto Butantan decidiu ainda não fazer o pedido formal de autorização de uso emergencial da Coronavac, informou o órgão regulador em nota.
Após mais uma reunião nesta quinta-feira (7) com técnicos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o Instituto Butantan decidiu ainda não fazer o pedido formal de autorização de uso emergencial da Coronavac, informou o órgão regulador em nota.
Mais cedo, na entrevista coletiva em que se anunciou a eficácia de 78% da vacina contra a Covid-19 desenvolvida em parceria com a Sinovac, o presidente do Butantan, Dimas Covas, havia dito que a formalização do pedido poderia ser feita ainda hoje ou amanhã (8), a depender do desenrolar da segunda reunião com a Anvisa.
"A Anvisa continuará a avaliação, após a submissão formal do processo com as informações globais de eficácia e segurança da vacina", apontou a agência.
Na coletiva, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou que a Coronavac teve eficácia de 78% na prevenção de casos leves da Covid-19 e de 100% na prevenção de internações e casos graves. No entanto, apesar de jornalistas terem feito pedidos neste sentido, as autoridades paulistas não apresentaram números detalhados do estudo final com voluntários.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO