Porto Alegre, domingo, 01 de novembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
domingo, 01 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Saúde

- Publicada em 19h28min, 01/11/2020. Atualizada em 21h46min, 01/11/2020.

Apesar de 10 mil novos casos, óbitos por Covid-19 desaceleram no País, diz o Ministério da Saúde

Número de recuperados vem aumentando e chega a quase 90% do total de infectados no País

Número de recuperados vem aumentando e chega a quase 90% do total de infectados no País


DOUGLAS MAGNO/AFP/JC
Segundo dados divulgados na noite deste domingo (1º) pelo Ministério da Saúde, o Brasil registrou nas últimas 24 horas 10.100 novos casos de Covid-19. No total, a doença acometeu 5.545.705 brasileiros e foi responsável por 160.074 óbitos, uma alta de 190 mortes desde o registro de sábado (31).
Segundo dados divulgados na noite deste domingo (1º) pelo Ministério da Saúde, o Brasil registrou nas últimas 24 horas 10.100 novos casos de Covid-19. No total, a doença acometeu 5.545.705 brasileiros e foi responsável por 160.074 óbitos, uma alta de 190 mortes desde o registro de sábado (31).
O boletim informou que o número de recuperados vem aumentando e chega a quase 90% do total de infectados: 4.980.942 pessoas - 89,8% do total. O Brasil está em 2º lugar no total de recuperados do mundo, atrás apenas da Índia, que também está na frente em número de casos. A Índia registra 8,18 milhões de infectados e 4,49 milhões de recuperados.
O relatório da Saúde registra, ainda, que há 2.359 óbitos em investigação no momento.
O governo de São Paulo informou que o estado contabiliza 1.117.147 casos confirmados de covid-19. Ainda de acordo com o balanço, 39.331 óbitos foram notificados. A taxa de recuperação no estado chega a 90%, com 1.005.729 pessoas diagnosticadas livres da presença do vírus após a contaminação. Destes, 122.115 foram internados, mas tiveram alta após a recuperação.
Segundo o boletim, foram identificadas as principais comorbidades que aumentam a probabilidade de os pacientes falecerem por causa da doença. A cardiopatia responde por mais da metade (59,8%) das mortes no estado, seguida pela diabetes mellitus (43,2%), doenças neurológicas (10,9%), renal (9,6%), pneumopatia (8,3%). Outros fatores são obesidade (8,1%), imunodepressão (5,5%), asma (3%), doenças hepáticas (2,1%) e hematológica (1,7%), Síndrome de Down (0,5%), puerpério (0,1%) e gestação (0,1%). No total, 31.630 pessoas que morreram por covid-19 (80,4%) apresentavam um desses quadros.
Na nota divulgada, o governo estadual também destaca que a taxa de ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) é de 41,2% na Grande São Paulo. Nos demais municípios, a média é de 39,5%. Atualmente, 6.997 pacientes estão internados, sendo 3.983 em enfermaria e 3.014 em UTI.
Agência Brasil
Comentários CORRIGIR TEXTO