Porto Alegre, sexta-feira, 16 de outubro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 16 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

saúde

- Publicada em 10h36min, 08/10/2020.

Moderna diz que não vai restringir patente de sua vacina enquanto pandemia durar

Empresa tem pelo menos sete patentes nos EUA relacionadas à sua potencial vacina

Empresa tem pelo menos sete patentes nos EUA relacionadas à sua potencial vacina


JOEL SAGET/AFP/JC
A Moderna, empresa farmacêutica norte-americana, afirmou que não vai reforçar o controle da patente de sua potencial vacina contra o novo coronavírus enquanto a pandemia durar e disse estar disposta a licenciar a patente para terceiros após o período de calamidade sanitária. Na prática, a movimentação da empresa significa que outros fabricantes de medicamentos ou governos não precisam temer que a Moderna tente bloquear qualquer outra vacina contra a Covid-19, sob alegação de que fere alguma tecnologia proprietária da empresa.
A Moderna, empresa farmacêutica norte-americana, afirmou que não vai reforçar o controle da patente de sua potencial vacina contra o novo coronavírus enquanto a pandemia durar e disse estar disposta a licenciar a patente para terceiros após o período de calamidade sanitária. Na prática, a movimentação da empresa significa que outros fabricantes de medicamentos ou governos não precisam temer que a Moderna tente bloquear qualquer outra vacina contra a Covid-19, sob alegação de que fere alguma tecnologia proprietária da empresa.
A Moderna tem pelo menos sete patentes nos EUA relacionadas à sua potencial vacina, incluindo uma para a invenção de um imunizante que usa tecnologia baseada em genes para proteger contra uma família de coronavírus, incluindo o Sars-Cov-2, que causa a Covid-19.
Segundo a Moderna, é possível que outras companhias utilizem sua tecnologia para o desenvolvimento de vacinas, por isso decidiram não notificar as rivais por violação de patente. "Estamos fazendo o oposto de criar esse tipo de ansiedade para as pessoas", disse o presidente da Moderna, Stephen Hoge, em entrevista. "Não estamos interessados em usar o registro de propriedade intelectual para diminuir o número de vacinas disponíveis em uma pandemia", reiterou.
A possível vacina da empresa está na fase 3 de testes clínicos, que avalia a segurança, efetividade e eficácia do produto contra o novo coronavírus. A Moderna pode apresentar resultados iniciais já nas próximas semanas, com potencial para autorização governamental para o uso da vacina, se os resultados forem positivos.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO