Porto Alegre, terça-feira, 15 de setembro de 2020.
Dia do Cliente.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 15 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Saúde

- Publicada em 13h36min, 15/09/2020.

Fiocruz lança documento com orientações sobre volta às aulas

Escolas devem adotar medidas de segurança sanitária, como uso de máscara pelos alunos

Escolas devem adotar medidas de segurança sanitária, como uso de máscara pelos alunos


ANGELA WEISS/AFP/JC
A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) lançou, na segunda-feira (14), um documento com orientações sobre a volta às aulas em meio à pandemia do novo coronavírus. Intitulado "Contribuições para o retorno às atividades escolares presenciais no contexto da pandemia de Covid-19", o material foi coordenado pela vice-presidência de Ambiente, Atenção e Promoção da Saúde da Fiocruz e reúne evidências e informações científicas e sanitárias, nacionais e internacionais, sobre o que tem sido debatido sobre a volta às aulas presenciais.
A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) lançou, na segunda-feira (14), um documento com orientações sobre a volta às aulas em meio à pandemia do novo coronavírus. Intitulado "Contribuições para o retorno às atividades escolares presenciais no contexto da pandemia de Covid-19", o material foi coordenado pela vice-presidência de Ambiente, Atenção e Promoção da Saúde da Fiocruz e reúne evidências e informações científicas e sanitárias, nacionais e internacionais, sobre o que tem sido debatido sobre a volta às aulas presenciais.
O documento da Fiocruz elenca 11 critérios gerais para a reabertura das escolas (confira no fim da matéria), e oferece elementos para assessorar a comunidade escolar e aos gestores, considerando as diferentes variáveis regionais.
"Trata-se de uma questão multi e transdisciplinar, além de intersetorial. Por isso, o documento destaca a necessidade de articulação, em cada território, dos serviços públicos da educação, saúde e assistência social para que sejam construídos, com a participação da população, os devidos diagnósticos", comenta a coordenadora do grupo, Patrícia Canto.
Além das informações apresentadas no material, como panorama epidemiológico no Brasil, estados e municípios, lista indicadores globais e específicos para o retorno das atividades, o processo de adoecimento por Covid-19, com foco especial em crianças e adolescentes, biossegurança, vigilância e monitoramento, o documento destaca a importância da ampla testagem da população, como parte de uma estratégia de vigilância em saúde contínua e o foco no território, ou seja, considerando a realidade em que está inserida a unidade ou a rede escolar.
Segunda a pesquisadora, não é possível dissociar as dimensões da saúde individual. "A escola é um agente estratégico para a promoção da saúde e prevenção de possíveis agravos. A supressão desses espaços de sociabilidade deve comprometer autoridades e sociedade para o fortalecimento de políticas públicas que criem condições concretas para a produção da saúde, como o direito à segurança alimentar e nutricional, a proteção social contra as violências (inclusive a violência doméstica e familiar que se amplia no contexto da pandemia da covid-19) e a preservação do direito à educação. É a partir dessa perspectiva que a reabertura das escolas deve se dar", afirma.

Critérios gerais para a reabertura de escolas, conforme a Fiocruz:

  • A transmissão da doença deve estar controlada;
  • A escola deve adotar medidas preventivas, como garantir o distanciamento de pelo menos um metro entre as pessoas e o uso de máscaras para alunos, trabalhadores e profissionais da educação, excluídas crianças abaixo de 2 anos e observando o aprendizado para o uso nas crianças entre 2 e 10 anos;
  • Os transportes públicos e escolares devem ser controlados, para garantir o distanciamento social;
  • É preciso controlar o risco de importação da doença, vinda de outros lugares;
  • Os pais devem participar do planejamento do retorno;
  • Alunos com deficiências ou em condições de risco precisam de atenção especial;
  • Professores e funcionários devem receber apoio psicossocial contínuo para alcançar seu bem-estar socioemocional. Isso será especialmente crítico para os professores encarregados de fornecer o mesmo apoio aos alunos e famílias;
  • Os professores devem participar da reorganização dos currículos, da definição do calendário escolar e da reorganização da sala de aula;
  • Professores, funcionários e estudantes que tenham condições prévias que favoreçam o desenvolvimento das formas graves da covid-19, como cardiopatias, doenças pulmonares crônicas, gestantes, portadores de doenças imunossupressora e maiores de 60 anos devem permanecer em isolamento social, não sendo recomendado o retorno presencial;
  • Toda a comunidade escolar precisa de condições adequadas de trabalho;
  • As autoridades educacionais precisam investir em professores e trabalhadores de apoio à educação, não apenas para manter os salários, mas também para fornecer capacitação essencial e apoio psicossocial.
Comentários CORRIGIR TEXTO