Porto Alegre, sábado, 11 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 11 de julho de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Saúde

Alterada em 11/07 às 17h34min

Em Bento Gonçalves, 88% das pessoas que tiveram Covid-19 estão curadas

Dados da Prefeitura apontam que 8,5% dos pacientes continuam em monitoramento

Dados da Prefeitura apontam que 8,5% dos pacientes continuam em monitoramento


MAURO SCHAEFER/ARQUIVO/JC
Pelo menos 1.404 pessoas que tiveram sintomas de Covid-19 em Bento Gonçalves estão curadas. Isso representa 88% dos casos, afirma a Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal da Saúde do município. Os dados têm como base o Sistema Nacional de Agravos de Notificação (SINAN).
Pelo menos 1.404 pessoas que tiveram sintomas de Covid-19 em Bento Gonçalves estão curadas. Isso representa 88% dos casos, afirma a Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal da Saúde do município. Os dados têm como base o Sistema Nacional de Agravos de Notificação (SINAN).
Ainda continuam em monitoramento 8,5% dos casos. Ocorreram 42 mortes associadas à doença, o que resultou numa taxa global de mortalidade de 2,6% na cidade. A maior parte das mortes foi entre indivíduos na faixa etária de 60 anos ou mais, resultando numa taxa de letalidade de 13,7% neste grupo.
O maior número de notificações foi realizada na semana de 22 a 28 de junho – 296 casos. O aumento neste período, de acordo com a Prefeitura, foi em função do surto de coronavírus ocorrido em um frigorífico, no qual trabalham pessoas residentes em Bento Gonçalves.
O levantamento aponta que, do total de infectados em Bento Gonçalves, 47,7% são homens e 52,3% mulheres. A distribuição etária dos casos mostra que a maior proporção de infectados está na faixa etária de 20 a 39 anos (50,1%) e de 40 a 59 anos (31,4%), respectivamente.
Dos casos confirmados, em 46,5% (759) a infecção foi diagnosticada através do exame laboratorial chamado PCR, e o restante por meio de testes rápidos. Entre os infectados, 61,8% (1.008) estava com quadro de síndrome gripal, por ocasião do diagnóstico, e 14,1% com síndrome respiratória aguda grave (SRAG). Em 24,1 dos casos não havia sintomas gripais conhecidos.
Comentários CORRIGIR TEXTO