Porto Alegre, sexta-feira, 15 de maio de 2020.
Dia do Assistente Social.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 15 de maio de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

saúde

Alterada em 15/05 às 19h42min

Brasil tem 824 novas mortes por coronavírus e 15 mil novos casos confirmados

O total de óbitos é de 14.817, e de casos confirmados, 218.223

O total de óbitos é de 14.817, e de casos confirmados, 218.223


Camila Surian/Arte/JC
Folhapress
O Brasil registrou nesta sexta-feira (15) 15.305 novos casos confirmados de coronavírus em 24 horas, um número recorde, segundo o Ministério da Saúde. Até então o maior número diário era 13.944, na quinta (14).
O Brasil registrou nesta sexta-feira (15) 15.305 novos casos confirmados de coronavírus em 24 horas, um número recorde, segundo o Ministério da Saúde. Até então o maior número diário era 13.944, na quinta (14).
Também foram registradas 824 novas mortes por Covid-19. O total de óbitos é de 14.817, e de casos confirmados, 218.223.
Os cinco países com mais casos de Covid-19 são EUA (1,4 milhão), Rússia (262 mil), Reino Unido (238 mil), Espanha (230 mil) e Itália (223 mil). O Brasil vem em seguida na sexta posição, mas, nesse ritmo, logo deve ultrapassar a Itália.
O Brasil também é o sexto país com mais mortes no mundo. Os cinco primeiros são EUA (86 mil), Reino Unido (34 mil), Itália (31 mil), França (27.532) e Espanha (27.459).
Na quinta, o secretário substituto de vigilância em saúde da pasta, Eduardo Macário, disse que o país vive uma situação de alerta por conta da alta nos casos e nas mortes de Covid-19.
"A principal mensagem é que ainda estamos em um momento de crescimento de casos. Não há nenhuma perspectiva nesse momento de estabilização ou até mesmo de diminuição", disse Macário. "O que nós temos talvez seja a redução da dinâmica da infecção, quando a gente compara, por exemplo, com os Estados Unidos, que teve um crescimento linear muito elevado", completou.
O recorde é de 881 mortes registradas em apenas um dia, de terça (12). Na quinta, foram 844 novos óbitos.
 
 
Comentários