Porto Alegre, segunda-feira, 30 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre, segunda-feira, 30 de março de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

EMPRESAS

30/03/2020 - 20h15min. Alterada em 30/03 às 20h20min

BRDE libera R$ 500 milhões para capital de giro dos pequenos e micro empresários

Governador Eduardo Leite anunciou a medida

Governador Eduardo Leite anunciou a medida


REPRODUÇÃO/JC
Fernanda Crancio
O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) irá liberar R$ 500 milhões para amenizar as perdas dos pequenos e médios empresários gaúchos e ajudá-los na manutenção dos negócios durante a crise gerada pela pandemia do coronavírus. O anúncio foi feito pelo governador Eduardo Leite na tarde desta segunda-feira (30), durante mais um pronunciamento via redes sociais. O chefe do Executivo revelou ainda que outros R$ R$ 500 milhões deverão ser ofertados pela instituição no período pós-crise, com prazo de seis meses de carência para pagamento dos financiamentos.
O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) irá liberar R$ 500 milhões para amenizar as perdas dos pequenos e médios empresários gaúchos e ajudá-los na manutenção dos negócios durante a crise gerada pela pandemia do coronavírus. O anúncio foi feito pelo governador Eduardo Leite na tarde desta segunda-feira (30), durante mais um pronunciamento via redes sociais. O chefe do Executivo revelou ainda que outros R$ R$ 500 milhões deverão ser ofertados pela instituição no período pós-crise, com prazo de seis meses de carência para pagamento dos financiamentos.
{'nm_midia_inter_thumb1':'', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5c6f03d777ac4', 'cd_midia':8634598, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/gif/2019/02/21/banner_whatsapp_280x50px_branco-8634598.gif', 'ds_midia': 'WhatsApp Conteúdo Link', 'ds_midia_credi': 'Thiago Machado / Arte JC', 'ds_midia_titlo': 'WhatsApp Conteúdo Link', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '280', 'cd_midia_h': '50', 'align': 'Center'}
Segundo Leite, a intenção do governo é dar alternativas para que os empresários possam enfrentar o período de dificuldade e buscar uma forma de benefício. O governador revelou ainda que já fez pedido ao Conselho Gestor do Simples Nacional para obter a prorrogação do ICMS do Simples.
Dessa forma, a tributação federal a ser cobrada entre os meses de abril, maio e junho passaria para automaticamente para desconto nos meses de outubro, novembro e dezembro. Se for confirmada e autorizada, a medida poderá beneficiar cerca de 200 mil micro e pequenos empresários. "Continuamos olhando para a proteção à vida, mas sem esquecer da economia, e essas medidas são para evitar o peso sobre os que geram riqueza no Estado", disse.
Segundo o BRDE, os R$500 milhões de crédito emergencial terão condições de financiamento diferenciadas e já estão disponíveis, aguardando apenas o início da operacionalização dos processos, já que os atendimentos e consultas estão sendo feitos apenas online nesse momento, por conta da pandemia. A orientação aos empresários é para que entrem em contato com a instituição ou acessem o site do banco.
O montante será liberado por meio do Programa Recupera Sul, que no total injetará R$ 1,3 bilhão na economia dos três estados do Sul (Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná) ao longo de 2020, como forma de proteger e socorrer as empresas afetadas pela crise.