Porto Alegre, quinta-feira, 26 de março de 2020.
Aniversário de Porto Alegre. Dia do Cacau.

Jornal do Comércio

Porto Alegre, quinta-feira, 26 de março de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Pandemia

Notícia da edição impressa de 26/03/2020. Alterada em 25/03 às 20h53min

ONU anuncia plano de US$ 2 bi para países pobres

Ao lançar um plano de resposta global que inclui doações de até US$ 2 bilhões (R$ 10,1 bilhões), o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), o português António Guterres, disse, nesta quarta-feira (25), que a pandemia de coronavírus "está ameaçando toda a humanidade".
Ao lançar um plano de resposta global que inclui doações de até US$ 2 bilhões (R$ 10,1 bilhões), o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), o português António Guterres, disse, nesta quarta-feira (25), que a pandemia de coronavírus "está ameaçando toda a humanidade".
O objetivo do Plano Mundial de Resposta Humanitária à Covid-19 é combater o vírus nos países mais pobres e responder às necessidades das pessoas mais vulneráveis. Segundo o secretário-geral, o coronavírus está chegando a países onde já existem crises humanitárias causadas por conflitos, desastres naturais e pela mudança climática, onde os habitantes, obrigados a fugir por conta de bombas, violência ou inundações, "vivem sob coberturas de plástico ou amontoados em campos de refugiados ou assentamentos informais".
"Essas pessoas não possuem uma casa em que possam praticar o isolamento social" e "lhes falta água limpa e sabão para realizar a ação mais básica de proteção pessoal contra o vírus: lavar as mãos." O plano anunciado por Guterres vai até dezembro.
Já o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, voltou a falar, ontem, sobre o programa lançado junto com a ONU para ajudar os países mais pobres em meio à pandemia. "Esta é mais que uma crise de saúde, e estamos comprometidos a trabalhar juntos para proteger as pessoas mais vulneráveis ao vírus e suas consequências", ressaltou Ghebreyesus, que convocou, ainda, os países do G-20 a ajudarem as nações de baixa renda.
Segundo o diretor-geral, o Fundo de Resposta Solidária à Covid-19, criado há duas semanas, recebeu mais de 200 mil doações. "O fundo já arrecadou mais de US$ 95 milhões", revelou.