Porto Alegre, sábado, 17 de outubro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 17 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Consumo

- Publicada em 03h00min, 23/03/2020.

Não há risco de desabastecimento, afirma ministra da Agricultura

Em conversas com o setor produtivo, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, prepara um plano para assegurar o abastecimento de alimentos, desde a fazenda ao supermercado. Há serviços essenciais que não poderão parar durante o isolamento pelo coronavírus, e a produção e o transporte de alimentos são exemplos. "Temos que fazer com que a colheita saia da propriedade. Porque, se não colhermos agora, só no ano que vem." A ministra afirma que os supermercados têm estoques de 60 dias e diz que não há perigo de desabastecimento.
Em conversas com o setor produtivo, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, prepara um plano para assegurar o abastecimento de alimentos, desde a fazenda ao supermercado. Há serviços essenciais que não poderão parar durante o isolamento pelo coronavírus, e a produção e o transporte de alimentos são exemplos. "Temos que fazer com que a colheita saia da propriedade. Porque, se não colhermos agora, só no ano que vem." A ministra afirma que os supermercados têm estoques de 60 dias e diz que não há perigo de desabastecimento.
De acordo com a ministra, a iniciativa privada está preocupada e cada empresa está adotando um protocolo de acordo com seus problemas. "O setor frigorífico anunciou, por exemplo, que três ou quatro empresas fechariam algumas unidades, dariam férias coletivas de 20 dias. O que estamos orientando é que esses trabalhadores depois voltem e saiam outros para manter o fluxo de fornecimento."
Segundo Tereza Cristina, a pasta vem mantendo contado com a Associação Brasileira de Supermercados (Abras), e a informação é que existe estoque para um horizonte de 60 dias. "O que a gente pede é que as pessoas tenham certa parcimônia para ter um consumo consciente e racional, não comprar a mais do que se compra, porque você pode estar estocando, mas vai faltar para alguém. E não tem perigo de desabastecimento. É o que todos têm dito. Álcool em gel, por exemplo, teremos doação de usinas do setor sucroalcooleiro."
 
Comentários CORRIGIR TEXTO