Porto Alegre, quinta-feira, 19 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Indústria

Notícia da edição impressa de 19/03/2020. Alterada em 19/03 às 03h00min

CMPC adota medidas de prevenção ao coronavírus

A CMPC, fornecedora no mercado global de celulose e papel, está adotando práticas de prevenção ao coronavírus entre seus colaboradores e prestadores de serviços.
A CMPC, fornecedora no mercado global de celulose e papel, está adotando práticas de prevenção ao coronavírus entre seus colaboradores e prestadores de serviços.
Entre as medidas em vigor estão o trabalho remoto por ao menos 14 dias para as funções administrativas, suspensão de todas as viagens aéreas nacionais e internacionais, e a recomendação de dar preferência a videoconferências, substituir as reuniões operacionais por ligações e mensagens de texto, além de evitar a participação em eventos externos com aglomeração de pessoas, como palestras, feiras ou seminários.
A empresa também vai aumentar a frota de ônibus para transporte no trajeto até a unidade para diminuir a quantidade de pessoas transportadas em um veículo só; realizar a medição da temperatura dos colaboradores ao entrarem nos fretados, em caso de febre o colaborador não seguirá para a empresa e deve procurar os órgãos de saúde; e ampliar o horário de almoço em uma hora para evitar aglomerações no refeitório.
Na planta industrial de Guaíba foram colocados mais dispensers de álcool em gel e aumentaram a frequência de limpeza e higienização dos ônibus e das áreas comuns.
"Estamos em um momento crucial para unir iniciativas públicas e privadas no combate ao avanço desta epidemia no Rio Grande do Sul e no Brasil. Todas as medidas individuais e coletivas adotadas farão a diferença para preservar a nossa saúde e a de outras pessoas mais vulneráveis a doenças infectocontagiosas, como os idosos, além de evitar a superlotação dos hospitais e postos de saúde", explica Mauricio Harger, diretor-geral da CMPC.