Porto Alegre, segunda-feira, 16 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Governo Federal

Notícia da edição impressa de 16/03/2020. Alterada em 16/03 às 03h00min

Ao menos sete pessoas da comitiva de Bolsonaro testaram positivo para coronavírus

Ao menos sete pessoas que estiveram próximas ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) durante viagem aos Estados Unidos, na semana passada, estão infectadas com o novo coronavírus. O caso mais recente é o  do publicitário Sérgio Lima, responsável pela comunicação da Aliança pelo Brasil, sigla que o presidente quer criar, informou que está com o novo coronavírus. A Folha de S.Paulo confirmou que ele esteve com a comitiva de Bolsonaro (sem partido) nos Estados Unidos, na semana passada. Lima confirmou o resultado de seus exames na madrugada de domingo em seu perfil no Twitter.
Ao menos sete pessoas que estiveram próximas ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) durante viagem aos Estados Unidos, na semana passada, estão infectadas com o novo coronavírus. O caso mais recente é o  do publicitário Sérgio Lima, responsável pela comunicação da Aliança pelo Brasil, sigla que o presidente quer criar, informou que está com o novo coronavírus. A Folha de S.Paulo confirmou que ele esteve com a comitiva de Bolsonaro (sem partido) nos Estados Unidos, na semana passada. Lima confirmou o resultado de seus exames na madrugada de domingo em seu perfil no Twitter.
Também testou positivo um empresário que estava no grupo que acompanhou a visita do presidente aos EUA. Ele preferiu não se identificar. Três outros casos são de integrantes da comitiva oficial de Bolsonaro na viagem à Flórida. Anunciaram que contraíram a doença o chefe da Secretaria Especial de Comunicação Social, Fabio Wajngarten, o senador Nelsinho Trad (PSD-MS) e o diplomata Nestor Forster, indicado para o cargo de embaixador do Brasil em Washington.
A divulgação de que outros participantes da missão foram infectados ocorreu depois que o ministro Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo, disse à reportagem que os resultados de todos os testes da comitiva - exceto Wajngarten - tinham dado negativo.
A lista com os integrantes da comitiva oficial foi divulgada pelo Palácio do Planalto. Nem todos os listados viajaram com Bolsonaro no avião presidencial e ela não inclui os nomes de auxiliares técnicos e da equipe de apoio.
Ao menos uma pessoa que acompanhou Bolsonaro na Flórida, mas que não consta na lista oficial divulgada pelo Planalto, afirmou também ter sido diagnosticada como portadora do coronavírus: a advogada Karina Kufa, tesoureira do Aliança pelo Brasil, disse que seu exame deu positivo.
Ela está em isolamento e, pelas redes sociais, tem atualizado seu estado de saúde. "Hoje acordei bem melhor, os sintomas praticamente sumiriam. Até agora não tive febre e falta de ar, que são os fatores de alerta", escreveu a advogada neste sábado.
Entre os anfitriões, o prefeito de Miami, Francis Suarez, anunciou, na sexta-feira (13), ter recebido o diagnóstico positivo para o novo coronavírus. Ele participou de evento com Bolsonaro e sua comitiva na segunda-feira (9), na Flórida.
Durante a viagem aos EUA, que ocorreu entre 7 e 10 de março, Bolsonaro teve um jantar com o presidente norte-americano, Donald Trump - o teste dele deu negativo. Bolsonaro informou, na sexta-feira (13), que não tem o vírus.