Porto Alegre, sexta-feira, 13 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Câmara de Porto Alegre

Alterada em 13/03 às 19h50min

Coronavírus: Vereadores de Porto Alegre vão alterar funcionamento da Câmara

Parlamento ainda não deve suspender sessões, mas possibilidade não está descartada

Parlamento ainda não deve suspender sessões, mas possibilidade não está descartada


Ederson Nunes/CMPA/Divulgação/JC
Diego Nuñez
Os líderes das bancadas da Câmara Municipal de Porto Alegre se reúnem nesta segunda-feira (16) para decidirem sobre o funcionamento do Parlamento em conta do surto do novo coronavírus no Brasil. O Rio Grande do Sul já tem seis casos confirmados. A Capital concentra dois terços dos pacientes identificados com o Covid-19.
Os líderes das bancadas da Câmara Municipal de Porto Alegre se reúnem nesta segunda-feira (16) para decidirem sobre o funcionamento do Parlamento em conta do surto do novo coronavírus no Brasil. O Rio Grande do Sul já tem seis casos confirmados. A Capital concentra dois terços dos pacientes identificados com o Covid-19.
A presidência da Casa já decidiu suspender todos os eventos, exceto as sessões legislativas e as reuniões das comissões permanentes, como a de Saúde, que têm por objetivo debater assuntos específicos da cidade. As audiências públicas marcadas para a próxima semana foram canceladas.
A ideia dos vereadores é reavaliar a situação semanalmente e, à medida que se avance a propagação ou a contensão do vírus, tomar novas medidas a cada início de semana. Para a reunião desta semana, é provável que haja continuidade nos trabalhos legislativos. A possibilidade, contudo, não está descartada.
Porém, há a opção de que as sessões parlamentares tenham presença reduzida de público nas galerias. Isso, atualmente, é um problema na Câmara, que atualmente debate projetos polêmicos enviados principalmente pelo prefeito da Capital, Nelson Marchezan Júnior (PSDB), que atraem bastante protestos.
O Legislativo segue a tendência de suspensão de atividades com aglomeração de público, algo que já ocorre em Porto Alegre.