Porto Alegre, sexta-feira, 06 de julho de 2018.

Jornal do Comércio

COMENTAR | CORRIGIR

SETORES

Notícia da edição impressa de 06/07/2018. Alterada em 05/07 às 23h00min

Novos voos: Cootravipa quer ampliar sua atuação

Mudanças estratégicas e investimento em qualificação permitiram contornar a crise do setor público

Mudanças estratégicas e investimento em qualificação permitiram contornar a crise do setor público


/LUIZA PRADO/JC
Os valores da cooperação mudam rumos de vidas. A Cooperativa de Trabalhadores Autônomos das Vilas de Porto Alegre (Cootravipa), conhecida pelos serviços públicos prestados principalmente de limpeza urbana, assume este papel de resgatar a dignidade pessoal e promover a inserção social através do trabalho. "É o sistema mais justo de organização de pessoas, onde tudo é para todos; e todos, de forma democrática, decidem o rumo de seu empreendimento. É pura e simplesmente uma união de pessoas que, de forma organizada, têm por objetivo serem protagonistas de sua própria história. É, acima de tudo, um ato individual de confiança e esperança: confiança de que unidos conseguiremos obter o que separados seria impossível; e esperança de que o resultado disso seja muito melhor do que o que obteríamos sozinhos", explica Imanjara Marques de Paula, diretora-presidente da Cootravipa.
Dos 3,5 mil cooperados, 2 mil deles mantêm-se ativos prestando serviços para a prefeitura de Porto Alegre - Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU), Departamento de Esgotos Pluviais (DEP), Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e outros - e para o Hospital Presidente Vargas, por exemplo. Nos últimos anos, a combinação de novas estratégias e investimento em qualificação das pessoas tornou-se a fórmula da Cootravipa para contornar a crise do setor público, até então seu principal cliente. "Percebemos a necessidade de nos tornarmos menos dependentes desse sistema, que está passando por uma crise institucional e financeira sem precedentes. Então unimos esforços no sentido de ganhar espaço no mercado da iniciativa privada. Já estamos em pleno processo de qualificação, oferecendo aos nossos cooperados e seus familiares cursos de capacitação nas mais diversas áreas, como camareira, recepcionista, manutenção especializada, jardinagem, gerenciamento e coordenação de equipes. Fora isso, buscando expandir a atuação em outras áreas que já temos experiência, como higienização hospitalar, limpeza e conservação, manutenção predial, cozinha, entre outras", revela.
A cooperativa ainda administra o impacto do final de 2017. "Ficamos quatro meses sem receber pelos nossos principais serviços prestados ao município, e tivemos de financiar os contratos, o que nos prejudicou bastante. Por outro lado, tiramos dessa experiência um aprendizado. Neste primeiro semestre de 2018, nos concentramos em capacitar nossos cooperados para, assim, podermos, de forma agressiva, ganhar mercado na iniciativa privada, acompanhando a filosofia do 'ganha-ganha': qualidade e preço justo ao tomador de serviços e segurança, e maior e melhor remuneração aos cooperados", reconhece Imanjara.
A perspectiva é colher os resultados ainda neste ano. "Já estamos com mais de 60 orçamentos enviados e acreditamos que esse segundo semestre será muito promissor. Acredito que alcançaremos, ainda neste ano, o objetivo almejado, que é inserção no mercado de serviços na iniciativa privada."
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia