Porto Alegre, sexta-feira, 06 de julho de 2018.

Jornal do Comércio

COMENTAR | CORRIGIR

SETORES

Notícia da edição impressa de 06/07/2018. Alterada em 05/07 às 23h00min

Crédito para colaborar no campo e na cidade

Um dos principais projetos do Sicredi é fortalecer no meio urbano e entre o público jovem os valores do cooperativismo

Um dos principais projetos do Sicredi é fortalecer no meio urbano e entre o público jovem os valores do cooperativismo


MARCELO G. RIBEIRO/JC
Pesquisas apontam que negócios ligados ao cooperativismo financeiro têm registrado, ano após ano, crescimento médio de 20% em ativos. É o caso do Sistema de Crédito Cooperativo (Sicredi), instituição financeira cooperativa, referência internacional, comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. Com presença nacional, o Sicredi possui 116 cooperativas em 22 estados e no Distrito Federal. No Rio Grande do Sul e em Santa Catarina, a Central Sicredi Sul/Sudeste reúne 43 cooperativas, 702 pontos de atendimento e atingiu, entre maio de 2017 e maio de 2018, R$ 42,29 bilhões em ativos administrados totais, registrando crescimento de 17,3%.
O Sicredi sempre apostou na força do Interior, por isso está presente em comunidades de pequeno e médio porte. "Felizmente, as cidades do Interior não sofrem tanto os efeitos da crise como as grandes cidades. Atualmente, 45% da carteira de crédito está voltada para o segmento rural", explica Márcio Port, presidente do Conselho de Administração da Sicredi Pioneira RS.
Para o novo Plano Safra 2018/2019, o Sicredi está disponibilizando para o Rio Grande do Sul e Santa Catarina mais de R$ 6,93 bilhões em crédito rural. A agricultura familiar (que engloba o pequeno e médio produtor rural) e a agroindústria familiar seguem como o segmento mais atendido pela instituição no Brasil. Nos dois estados do Sul do País, este segmento representou 92,3% das operações realizadas no ciclo 2017/2018, que se encerrou. A expectativa para o novo plano safra é que o Sicredi atinja 114 mil contratos, sendo 70% deles vinculados à agricultura familiar.
A experiência em cidades menores, onde se estabelecem relações mais próximas entre as pessoas, mostra que o relacionamento é combustível do movimento. As cooperativas de crédito não vislumbram o lucro, o que impacta diretamente na precificação de seus produtos e serviços financeiros, diferentemente dos bancos tradicionais. Os associados têm, portanto, além de um ganho no dia a dia, um resultado a médio prazo através da divisão das sobras. E aí reside a relação de confiança. "Eu me associo a quem eu conheço", afirma.
Um dos principais projetos do Sicredi é fortalecer no meio urbano e entre o público jovem os valores do cooperativismo. Neste sentido, a entidade lança o Woop, plataforma on-line que permitirá ao usuário associar-se e criar uma conta 100% digital, além de obter um cartão digital e usar outras funcionalidades, como programa de fidelidade e organizador financeiro. O aplicativo está disponível para sistemas Android e iOS. "Nosso desafio em centros urbanos não é a concorrência, mas o desconhecimento das pessoas sobre o sistema cooperativo. Como não conhecem, recorrem aos bancos", observa Port.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia