Porto Alegre, segunda-feira, 02 de dezembro de 2019.
Dia Nacional do Astrônomo. Dia do Samba. Dia Pan-Americano da Saúde.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

COMENTAR | CORRIGIR

Investimentos

02/12/2019 - 16h18min. Alterada em 02/12 às 16h18min

'Alta de mais de 40% no Investômetro é coerente com o que sentimos no banco', diz diretor do BRDE

'Essa melhoria (investimentos) dá ânimo aos empreendedores', assinalou Noronha, do BRDE

'Essa melhoria (investimentos) dá ânimo aos empreendedores', assinalou Noronha, do BRDE


PATRÍCIA COMUNELLO /ESPECIAL/JC
Patrícia Comunello
A demanda por crédito aumentou no Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), o que reforça os números do Investômetro, ferramenta digital de monitoramento de novos empreendimentos na economia gaúcha que está no site do Jornal do Comércio. Semelhante a um indicador, o Investômetro, criado no ano passado, faz pare do Anuário de Investimentos.
Nesta segunda-feira (2), o JC lançou a edição de 2019 do anuário, em evento na Associação Comercial de Porto Alegre (ACPA), no Centro Histórico.
O vice-presidente e diretor de Planejamento e Financeiro do banco no Rio Grande do Sul, Luiz Corrêa Noronha, destacou que "acredita muito no anuário".
"Os números que ele apresenta, mesmo sendo valores de projetos acima de R$ 10 milhões, seguem o que temos registrado no banco", valoriza Noronha, citando que vai sugerir que a coordenação da plataforma considere incluir investimentos abaixo de R$ 10 milhões. "Nosso tíquete médio é inferior a este valor." 
"A notícia de alta do Investômetro de mais de 40% em um ano é muito boa e bastante coerente com o que estamos sentindo no banco. A procura por crédito aumentou, a inadimplência diminuiu e a recuperação de crédito é muito boa", elenca o diretor. A variação é apontada com o volume de R$ 24 bilhões, identificado no ano passado frente R$ 31,2 bilhões até novembro deste ano.   
"O crescimento de 2018 para 2019 é muito coerente com a avaliação que fazemos dentro do banco. Essa melhoria dá ânimo aos empreendedores", aposta Noronha.
Sobre 2020, o diretor espera aumento de aportes dos setores, mas "nada sobrenatural". "O investimento vai crescer em um fluxo razoável, e assim que tem de ser. É importante crescer um pouquinho a cada ano e nunca parar de crescer."
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia