Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Economia

- Publicada em 30 de Abril de 2022 às 09:25

Maior rodada de conciliação recebe manifestação de interesse de mais de 36 mil precatórios

Primeiro lote, com 500 precatórios, já está sendo conferido e analisado pela PGE-RS, informa Eduardo Cunha da Costa

Primeiro lote, com 500 precatórios, já está sendo conferido e analisado pela PGE-RS, informa Eduardo Cunha da Costa


MARCELO G. RIBEIRO/ARQUIVO/JC
A 8ª rodada de conciliação de precatórios se confirmou como a maior da história do Estado: foram 36.718 precatórios com manifestação de interesse em conciliar. A maior parte é proveniente do Tribunal de Justiça, seguida pelo Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (TRT4) e pelo Tribunal Regional Federal (TRF).
A 8ª rodada de conciliação de precatórios se confirmou como a maior da história do Estado: foram 36.718 precatórios com manifestação de interesse em conciliar. A maior parte é proveniente do Tribunal de Justiça, seguida pelo Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (TRT4) e pelo Tribunal Regional Federal (TRF).
Agora, a Procuradoria-Geral do Estado (PGE-RS) analisa os dados coletados e as melhores formas de dar seguimento à rodada. Os próximos passos envolvendo os acordos ocorrerão por meio de lotes de precatórios, levando em conta a ordem cronológica de apresentação. O primeiro lote, com 500 precatórios, já está sendo conferido e analisado pelo órgão. Os credores serão intimados posteriormente para os procedimentos seguintes.
“Estamos com as equipes de todos os órgãos envolvidos trabalhando de forma intensa para garantir a celeridade neste procedimento, que vem se mostrando uma importante ferramenta para abreviar a espera dos credores”, declarou o procurador-geral do Estado, Eduardo Cunha da Costa.
8ª rodada
A 8ª rodada de conciliação recebeu manifestações de interesse até 31 de março. Esta foi a primeira vez, desde que a Constituição Federal passou a prever a quitação de precatórios por meio de acordos diretos, que o Estado chamou todos os credores de precatórios devidos pela administração direta e indireta (autarquias e fundações), desde os mais antigos, até aqueles inscritos para pagamento no orçamento de 2022. Com a conciliação, os precatoristas podem receber o valor com deságio de 40%, mas de forma mais rápida.
Conteúdo Publicitário
Leia também
Comentários CORRIGIR TEXTO