Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Economia

- Publicada em 26 de Janeiro de 2022 às 20:13

Materiais sustentáveis são destaque no Inspiramais

Novos componentes já têm o apelo da sustentabilidade, diz Silvana

Novos componentes já têm o apelo da sustentabilidade, diz Silvana


ANDRESSA PUFAL/JC
Nícolas Pasinato
A 25ª edição do Inspiramais, evento que lança materiais para as indústrias do calçado, confecção, móveis e bijuterias, encerrou nesta quarta-feira (26), após dois dias de atividades que tiveram como principal foco o tema da sustentabilidade. O salão ocorreu pela primeira vez em Porto Alegre, no Centro de Eventos da Fiergs, e contou com 150 expositores, 600 materiais desenvolvidos e a participação de cerca de 5 mil visitantes.
A 25ª edição do Inspiramais, evento que lança materiais para as indústrias do calçado, confecção, móveis e bijuterias, encerrou nesta quarta-feira (26), após dois dias de atividades que tiveram como principal foco o tema da sustentabilidade. O salão ocorreu pela primeira vez em Porto Alegre, no Centro de Eventos da Fiergs, e contou com 150 expositores, 600 materiais desenvolvidos e a participação de cerca de 5 mil visitantes.
"A expectativa foi superada. Sabemos que começamos em um ano difícil, com um número expressivo de contágios relacionados à Covid-19. Mas com todos os cuidados necessários, a indústria compareceu. Até porque, quando falamos em desenvolvimento de material, precisamos do toque, da visualização de texturas e da troca de ideias com os fornecedores. Isso fortaleceu e validou o nosso evento", ressaltou a superintendente da Associação Brasileira das Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos (Assintecal), Silvana Dilly.
Em todas as palestras do Inspiramais, o tema sustentabilidade esteve presente como um caminho sem volta para a competitividade do setor de componentes. Além disso, foi criado um espaço para dar vitrine aos materiais com características sustentáveis. "Em um futuro próximo, sonhamos que não seja mais necessária essa diferenciação. O mundo caminha para que todos os materiais tenham esse apelo", avalia Dilly.
O presidente da Assintecal, Gerson Berwanger, por sua vez, destacou o fato de a Capital ter atraído uma visitação qualificada e focada em negócios, especialmente pelo fato de o Rio Grande do Sul ser o segundo maior produtor de calçados do Brasil - atrás apenas do Ceará. "O fato de estar localizado em um ambiente com ótima estrutura e estar próximo dos principais polos calçadistas brasileiros, foi fundamental para os resultados", avalia.
A edição do Inspiramais deste ano contou ainda com a presença de compradores internacionais. No total, mais de 50 representantes da Argentina, Colômbia, Equador, El Salvador, Espanha, Guatemala, México, Índia, Itália, Paraguai, Peru e Portugal realizaram negócios com expositores do salão. Conforme relatório da Assintecal, somando negócios realizados in loco e alinhavados para os próximos meses foram gerados mais de US$ 7,5 milhões.
O evento teve a promoção conjunta Assintecal, Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil (CICB), Associação Brasileira das Indústrias de Mobiliário (Abimóvel) e Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil). A realização é do programa By Brasil Components, Machinery and Chemicals e a parceria do Sebrae Nacional.
Dados divulgados pela Assintecal apontam que, em 2021, as exportações do setor de componentes somaram US$ 410,3 milhões ano passado, 22% mais do que em 2020 e 9% acima do registro de 2019.
Segundo Dilly, o incremento dos embarques teve como motivação uma série de fatores macroeconômicos, com destaque para o aumento dos custos de transporte, que inibiu as importações asiáticas, especialmente para os vizinhos latino-americanos.
Ainda de acordo com o relatório da associação, o principal destino das exportações de componentes brasileiros foi a China, seguido pela Argentina, México e Colômbia. O Rio Grande do Sul foi o maior exportador de componentes do período, com US$ 245 milhões em receitas geradas, 9% mais do que em 2020 e 5% menos do que em 2019. A segunda origem foi Santa Catarina, com receita de US$ 28,64 milhões, incremento de 8% sobre 2020 e queda de 4% sobre 2019.
Conteúdo Publicitário
Leia também
Comentários CORRIGIR TEXTO