Porto Alegre, quinta-feira, 13 de janeiro de 2022.
Porto Alegre,
quinta-feira, 13 de janeiro de 2022.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Responsabilidade Social

- Publicada em 13/01/2022 às 18h04min.

BRDE destina R$ 4,6 milhões para projetos sociais, culturais e esportivos via incentivo fiscal em 2021

Nos últimos seis anos, o montante aplicado pelo bancopelos mecanismos de renúncia fiscal ultrapassou R$ 22 milhões

Nos últimos seis anos, o montante aplicado pelo bancopelos mecanismos de renúncia fiscal ultrapassou R$ 22 milhões


BRDE/DIVULGAÇÃO/JC
O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) destinou R$ 4,6 milhões, em 2021, para projetos que beneficiam públicos de todas as idades com ações educativas, culturais, esportivas e de assistência social. O aporte foi realizado por meio das leis de incentivo fiscal e igualmente distribuído entre Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. Nos últimos seis anos, o montante aplicado pelo banco na região Sul pelos mecanismos de renúncia fiscal ultrapassou a marca de R$ 22 milhões.
O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) destinou R$ 4,6 milhões, em 2021, para projetos que beneficiam públicos de todas as idades com ações educativas, culturais, esportivas e de assistência social. O aporte foi realizado por meio das leis de incentivo fiscal e igualmente distribuído entre Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. Nos últimos seis anos, o montante aplicado pelo banco na região Sul pelos mecanismos de renúncia fiscal ultrapassou a marca de R$ 22 milhões.
A cada ano, o banco recebe inscrições, exclusivamente em meio eletrônico, para projetos que já tenham obtido aprovação oficial para captar recursos por meio dos seguintes mecanismos: Lei Federal de Incentivo à Cultura/Lei do Audiovisual; Lei Federal de Incentivo ao Esporte; Fundos da Infância e da Adolescência; Fundo Nacional do Idoso; Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica (PRONON) e Programa Nacional de Apoio à Atenção da Saúde da Pessoa com Deficiência (PRONAS).
Os repasses somaram mais de R$ 1,5 milhão apenas a entidades do Rio Grande do Sul. Para a diretora de Operações, Leany Lemos, os repasses via lei de incentivos fiscais reafirmam o quanto o BRDE está alinhado com os Objetivos de Desenvolvimento Social (ODS) e a própria missão de promover o desenvolvimento econômico e social da região Sul. “São pequenas ações que trazem dignidade e mais oportunidades para que tenhamos uma sociedade mais justa e inclusiva. Fazer na aldeia e impactar o planeta”, observou a diretora.
Um bom exemplo é o apoio do BRDE já de longos anos à Associação Gaúcha de Futebol para Cegos (Agafuc), com sede na cidade de Canoas. Pois a entidade reúne a base da seleção brasileira de futebol cinco que, no ano passado, conquistou a sua quinta medalha de ouro consecutiva em Jogos Paralímpicos de Tóquio. “Além de reforçar o apoio do banco em iniciativas com efetivo impacto social, promovendo inclusão através da cultura e do esporte, procuramos igualmente descentralizar os recursos para diferentes regiões do Estado. Acreditamos que assim estaremos fazendo a diferença em projetos que têm o mérito de mudar a vida das pessoas que serão atendidas”, destacou o diretor de Planejamento do BRDE, Otomar Vivian
Entre os novos projetos está o Centro de Reabilitação de Pelotas, que atua no atendimento de pacientes com deficiência intelectual ou múltipla, além dos casos de autismo. O projeto terá o aporte de R$ 131,9 mil. Ainda na área de prestação de serviços de saúde estão contemplados projetos nas cidades de Lajeado, Santa Rosa e Bom Retiro do Sul. Ao todo, são 36 projetos apoiados apenas no RS.
As iniciativas apoiadas qualificam equipes e programações de entidades que prestam atendimento a crianças, jovens e idosos; promovem atividades de educação pelo esporte e competições que valorizam atletas; permitem a aquisição de equipamentos para hospitais, creches e asilos; estimulam a produção e a distribuição de livros para escolas e bibliotecas públicas; possibilitam apresentações de dança, música, artes visuais e cênicas, bem como a valorização do patrimônio arquitetônico e histórico, e ajudam a manter programações anuais de instituições como museus, centros de cultura e orquestras, entre outras.
Conteúdo Publicitário
Comentários CORRIGIR TEXTO