Porto Alegre, segunda-feira, 08 de novembro de 2021.
Dia Mundial do Urbanismo.
Porto Alegre,
segunda-feira, 08 de novembro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Balanços

- Publicada em 08/11/2021 às 19h45min.

BB tem alta de 47,6% no lucro líquido no terceiro trimestre, para R$ 5,1 bilhões

Resultado representa um aumento de 47,6% na comparação com igual período do ano passado

Resultado representa um aumento de 47,6% na comparação com igual período do ano passado


Marcelo Camargo/Agência Brasil/JC
O BB (Banco do Brasil) registrou lucro líquido ajustado de R$ 5,1 bilhões no terceiro trimestre de 2021, de acordo com balanço divulgado nesta segunda-feira (8). O resultado representa um aumento de 47,6% na comparação com igual período do ano passado, e de 2% ante o trimestre imediatamente anterior.
O BB (Banco do Brasil) registrou lucro líquido ajustado de R$ 5,1 bilhões no terceiro trimestre de 2021, de acordo com balanço divulgado nesta segunda-feira (8). O resultado representa um aumento de 47,6% na comparação com igual período do ano passado, e de 2% ante o trimestre imediatamente anterior.
Frente aos resultados apresentados, o banco revisou suas projeções para o crescimento do lucro líquido ajustado em 2021, de uma faixa entre 17% e 20%, para algo em torno de 19% a 21%.
A carteira de crédito da instituição chegou a R$ 814,2 bilhões em setembro, alta de 11,4% em bases anuais, e de 6,2% ante junho de 2021, impulsionada pelo avanço em segmentos como pessoas físicas, com crescimento de 14,2% na comparação anual, MPME, com alta de 24,6%, e agronegócios, com 18,5%.
A previsão para o aumento da carteira de crédito do BB agora é de algo entre 14% e 16% neste ano, contra 8% a 12% anteriormente.
As receitas de prestação de serviços somaram R$ 7,3 bilhões, alta de 2,2% ano contra ano, e de 3,2% na margem, com destaque para o desempenho de administração de fundos (9,9%), seguros, previdência e capitalização (6,0%) e consórcios (11,7%).
As despesas administrativas, por sua vez, somaram R$ 7,83 bilhões, alta de 1% em bases anuais, e de 0,7% na margem.
Já a taxa de inadimplência acima de 90 dias foi de 1,82%, contra 2,43% há um ano, e 1,86% em junho de 2021.
As provisões para créditos de liquidação duvidosa (PCLD) atingiram R$ 43,95 bilhões, incremento de 3,8% na comparação anual, e de 2,7% ante o segundo trimestre de 2021.
Agência Folhapress
Conteúdo Publicitário
Comentários CORRIGIR TEXTO