Porto Alegre, quinta-feira, 21 de outubro de 2021.
Dia do Contato Publicitário.
Porto Alegre,
quinta-feira, 21 de outubro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Mercado Financeiro

- Publicada em 21/10/2021 às 10h01min.

Dólar tem alta forte com tensão fiscal e exterior; mercado espera ação do BC

Às 9h17 desta quinta, o dólar à vista subia 1,67%, a R$ 5,6530

Às 9h17 desta quinta, o dólar à vista subia 1,67%, a R$ 5,6530


FREEPIK/REPRODUÇÃO/JC
A tensão fiscal do País e o exterior negativo, com dólar e juros dos Treasuries em alta e bolsas em baixa, apoiam fortes ganhos do dólar ante o real nos primeiros negócios desta quinta-feira (21). Na renda fixa, o Tesouro até já antecipou a divulgação de lotes pequenos para o leilão de títulos prefixados desta quinta, que costuma ser feita às 10h30, ajudando a aliviar um pouco a pressão na curva de juros. No câmbio, há expectativas também sobre nova intervenção do Banco Central, com injeção de liquidez "extra", que poderia amenizar também a volatilidade, e porque o real opera bem mais desvalorizado ante o dólar no exterior do que seus pares emergentes e ligados a commodities.
A tensão fiscal do País e o exterior negativo, com dólar e juros dos Treasuries em alta e bolsas em baixa, apoiam fortes ganhos do dólar ante o real nos primeiros negócios desta quinta-feira (21). Na renda fixa, o Tesouro até já antecipou a divulgação de lotes pequenos para o leilão de títulos prefixados desta quinta, que costuma ser feita às 10h30, ajudando a aliviar um pouco a pressão na curva de juros. No câmbio, há expectativas também sobre nova intervenção do Banco Central, com injeção de liquidez "extra", que poderia amenizar também a volatilidade, e porque o real opera bem mais desvalorizado ante o dólar no exterior do que seus pares emergentes e ligados a commodities.
Os ajustes cambiais precificam os sinais de que o governo federal está disposto a furar o teto de gastos para elevar o valor do Auxílio Brasil a R$ 400, possibilidade admitida nessa quarta-feira (20) pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, que colocou o poder de decisão nas mãos da ala política. O mercado monitora Guedes em evento desta quinta-feira, às 19h.
Conforme apurou o Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, o novo arranjo de benefícios do Auxílio Brasil deve ter um custo extra de R$ 51,1 bilhões em 2022, dos quais pelo menos R$ 30 bilhões extrateto já teria o aval do ministro da Economia, Paulo Guedes.
Às 9h17 desta quinta, o dólar à vista subia 1,67%, a R$ 5,6530. O dólar para novembro ganhava 1,07%, a R$ 5,6675.
Agência Estado
Conteúdo Publicitário
Comentários CORRIGIR TEXTO