Porto Alegre, quarta-feira, 06 de outubro de 2021.
Porto Alegre,
quarta-feira, 06 de outubro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Mercado Imobiliário

- Publicada em 06/10/2021 às 19h12min.

Primeiro complexo predial do Golden Lake será entregue até dezembro de 2024

Valor de investimento total projetado para o empreeendimento é de R$ 2,5 bilhões

Valor de investimento total projetado para o empreeendimento é de R$ 2,5 bilhões


MULTIPLAN/DIVULGAÇÃO/JC
Diego Nuñez
O primeiro bairro privativo de Porto Alegre deu mais um passo para se tornar realidade nesta quarta-feira (6). A Multiplan lançou oficialmente o Golden Lake, empreendimento de 163 mil metros quadrados na Av. Diário de Notícias, ao lado do Barra Shopping Sul e estimou para o final de 2024 a finalização das obras do primeiro condomínio que vai compor este pequeno bairro fechado.
O primeiro bairro privativo de Porto Alegre deu mais um passo para se tornar realidade nesta quarta-feira (6). A Multiplan lançou oficialmente o Golden Lake, empreendimento de 163 mil metros quadrados na Av. Diário de Notícias, ao lado do Barra Shopping Sul e estimou para o final de 2024 a finalização das obras do primeiro condomínio que vai compor este pequeno bairro fechado.
O empreendimento será composto por sete condomínios, com 18 torres ao todo. O primeiro destes condomínios começará a ser erguido a partir de fevereiro do ano que vem. Denominado Lake Victoria, contará com quatro prédios distintos.
Antes mesmo do lançamento, 30% das 94 unidades deste condomínio já haviam sido comercializadas. Os valores das vendas não foram divulgadas. O tamanho dos apartamentos varia entre 299 e 543 m². O valor do metro quadrado do Lake Victoria é estimado em R$ 15 mil e o Valor Geral de Vendas (VGV) do condomínio é previsto em R$ 500 milhões.
Três dos quatro prédios terão dois apartamentos por andar. O prédio principal terá apenas um apartamento por andar, com a cobertura tendo exclusivamente 868 m². Todos os apartamentos terão vista para o Guaíba e quatro suítes.
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2021/10/06/206x137/1_lp_061021___golden_lake__29_-9436290.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'615ddbb8c497a', 'cd_midia':9436290, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2021/10/06/lp_061021___golden_lake__29_-9436290.jpg', 'ds_midia': 'Todos os apartamentos dos primeiro condomínio terão vista para o Guaíba e quatro suítes', 'ds_midia_credi': 'LUIZA PRADO/JC', 'ds_midia_titlo': 'Todos os apartamentos dos primeiro condomínio terão vista para o Guaíba e quatro suítes', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '533', 'align': 'Left'}Todos os apartamentos dos primeiro condomínio terão vista para o Guaíba e quatro suítes
A estrutura do bairro privativo – rede de água e esgoto, rede elétrica, pavimentação, paisagismo e elevação do terreno em 5m – já foi concluída. De 2009, quando foi adquirida a área, até agora, já foram investidos R$ 200 milhões no empreendimento.
O valor de investimento total projetado para o Golden Lake é de R$ 2,5 bilhões. Porém, a construção total dos sete condomínios levará anos, e este valor deverá, futuramente, ser corrigido com o tempo. A empresa ainda não consegue estimar em quanto tempo ocorrerá a construção de todo o complexo, e nem a ordem das torres a serem erguidas. O esperado é que o Valor Geral de Venda dos imóveis fique entre R$ 3 bilhões e R$ 4 bilhões.
Todo o condomínio terá 1.212 residências, entre seus 18 prédios. Segundo a Multiplan, apenas 10% do terreno será de área construída. Os outros 90% será de área livre, composta por 1,3 quilômetros de ciclovias e pistas de caminhada, quadras de tênis, futebol 7 e poliesportivas, churrasqueiras, um dos maiores lagos artificiais balneáveis do país e até mesmo uma praia artificial. Estas atrações serão de uso comum de moradores do bairro. Haverá também um restaurante, que será aberto ao público em geral.
Assinam os projetos arquitetônicos e de landscape os escritórios de Alexandre Feu Rosa e Benedito, respectivamente.
“Será praticamente um parque privativo, um projeto único no brasil. Neste momento, não existe nada dessa dimensão e qualidade no país, eu acredito, e vocês terão o orgulho de tê-lo aqui em Porto Alegre”, afirmou o presidente e fundador da Multiplan, José Isaac Peres.
Peres destacou muito o conceito de áreas livres do bairro – algo que já era pensado há 10 anos e que ganhou um significado ainda mais especial, segundo ele, após a pandemia – onde passou a se valorizar ainda mais espaços ao ar livre.
“Acredito que o empreendimento terá repercussão nacional, pelas características e qualidade do projeto. Aplicamos muito investimento grande e pesado, pois tenho certeza que o vetor de crescimento de Porto Alegre é para o sul”, afirmou Peres.

Multiplan aplicará R$ 170 milhões em obras de contrapartida

Em contrapartida à permissão de construção do Golden Lake, a Multiplan vai investir R$ 170 milhões em obras na cidade, incluindo uma revitalização de parte da Orla do Guaíba. O montante será aplicado durante toda a construção do empreendimento.
Como o empreendimento receberá sete condomínios, terá também sete fases de construção, e as obras de contrapartidas serão aplicadas conforme se avance as obras do empreendimento. As primeiras contrapartidas vencem com a entrega da primeira fase, ou seja, a emissão de habite-se do primeiro complexo predial, e assim sucessivamente, durante as sete fases.
Segundo Bruno Vanuzzi, Diretor Imobiliário da Multiplan que já foi secretário de Parcerias Estratégicas de Porto Alegre durante a gestão do ex-prefeito Nelson Marchezan Júnior (PSDB, 2017-2020), a prioridades estão sendo definidas de acordo com a própria prefeitura.
Uma delas é o Mercado Público – a Multiplan deve auxiliar da revitalização deste espaço, especialmente com obras estruturais para a liberação do segundo andar do Mercado, que está parado desde o incêndio de 2013. “Estamos trabalhando principalmente para que, no aniversário da cidade (26 de março), possa haver a reabjura do Mercado Público, ainda que parcial, dependente de outras obras” disse Vanuzzi.
Quanto à Orla do Guaíba, as primeiras melhorias serão feitas em um trecho de 300 metros que fica bem em frente ao empreendimento, localizado na esquina da Av. Diário de Notícias com a Av. Icaraí.
Vanuzzi acredita que os impactos do projeto serão positivos para Porto Alegre: “O empreendimento está localizado em um vazio urbano da cidade, que não é nem Zona Sul, nem Centro. Estamos inaugurando um bairro novo, vinculado à Orla, marca registrada da cidade”.

Área que receberia prédio em permuta ao Jockey Club terá escola particular

O Jockey Club, que incialmente receberia uma torre na área do em perdimento em permuta pelo terreno, preferiu fazer um acordo financeiro no valor de R$ 108 milhões, firmado junto à Multiplan.
A torre que seria cedida ao Jockey Club não vai mais ser erguida no Golden Lake. No lugar, a Multiplan pretende construir uma escola para os moradores do bairro privativo.
“A construção de mais uma torre poderia ser atrativa do ponto de vista financeiro, mas não do que pensamos para o bairro”, afirmou o presidente da Multiplan, José Isaac Peres. Segundo ele, “já existem empresas de ensino interessadas e há negociação em andamento com uma escola importante para implementar um colégio integral, com ensino fundamental e médio”.
O Golden Lake ficará instalado na área que abrigava as baias desativadas dos cavalos que competiam em corridas no Jockey Club. Para Peres, o acordo financeiro foi positivo para o Jockey.
Ele afirma que, após “10 anos financiando o clube, aplicando por volta de R$ 11 milhões para que se sustentasse, o Jockey já caminha com as próprias pernas e está bem financeiramente”. Durante a construção do empreendimento, está se procurando utilizar ao máximo componentes já existentes na área que pertencia ao Jockey, como as árvores do clube.
A madeira das cocheiras foi reciclada e transformada em biomassa para geração de energia. Cinco mil blocos de granito foram integralmente reutilizados. Todo o metal e o PVC dos encanamentos e calhas foi doado para reciclagem.
Conteúdo Publicitário
Comentários CORRIGIR TEXTO