Porto Alegre, sexta-feira, 11 de junho de 2021.
Dia da Marinha Brasileira.
Porto Alegre,
sexta-feira, 11 de junho de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

mercado financeiro

- Publicada em 08h18min, 11/06/2021.

Bolsas da Ásia fecham sem direção única, após salto de inflação nos EUA

Nikkei teve baixa marginal de 0,03% em Tóquio, a 28.948,73 pontos

Nikkei teve baixa marginal de 0,03% em Tóquio, a 28.948,73 pontos


Yuki IWAMURA / AFP/ JC
As bolsas da Ásia e do Pacífico fecharam sem direção única nesta sexta-feira (11) à medida que investidores digeriram os últimos dados de inflação ao consumidor (CPI) dos EUA, que está no maior nível em quase 13 anos.
As bolsas da Ásia e do Pacífico fecharam sem direção única nesta sexta-feira (11) à medida que investidores digeriram os últimos dados de inflação ao consumidor (CPI) dos EUA, que está no maior nível em quase 13 anos.
O índice acionário japonês Nikkei teve baixa marginal de 0,03% em Tóquio, a 28.948,73 pontos, enquanto o Hang Seng subiu 0,36% em Hong Kong, a 28.842,13 pontos, o sul-coreano Kospi avançou 0,77% em Seul, a 3.249,32 pontos, e o Taiex se valorizou 0,32% em Taiwan, a 17.213,52 pontos.
Na China continental, os mercados ficaram no vermelho, prejudicados por ações ligadas a consumo e comunicações. O Xangai Composto caiu 0,58%, a 3.589,75 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto recuou 0,60%, a 2.407,93 pontos. Segundo dados publicados ontem, a taxa anual do CPI dos EUA atingiu 5% em maio, superando as expectativas e tocando o maior patamar desde agosto de 2008.
O indicador americano veio num momento de crescentes temores de que a tendência de alta da inflação global possa levar grandes bancos centrais a retirar estímulos monetários adotados para combater os efeitos da pandemia de Covid-19 antes do esperado.
Em Nova York, porém, as bolsas subiram ontem, como novo recorde de fechamento do S&P 500, em meio à avaliação de que as pressões inflacionárias nos EUA são temporárias e de que o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) não deverá ter pressa de reverter sua postura ultra-acomodatícia. Na quarta-feira (16), o Fed revisa sua política monetária.
Na China, o presidente do PBoC (o BC chinês), Yi Gang, disse na quinta-feira que a instituição irá manter sua política monetária inalterada por entender que a inflação local está sob controle e que o desempenho da economia é razoável. Em maio, a inflação ao produtor chinês também atingiu máxima em quase 13 anos, mas a inflação ao consumidor ganhou força de forma mais controlada.
Na Oceania, a bolsa australiana fechou em nível recorde pelo segundo pregão consecutivo nesta sexta. O S&P/ASX 200 avançou 0,13% em Sydney, ao nível inédito de 7.312,30 pontos.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário