Porto Alegre, quinta-feira, 10 de junho de 2021.
Dia da Língua Portuguesa.
Porto Alegre,
quinta-feira, 10 de junho de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

mercado financeiro

- Publicada em 08h05min, 10/06/2021.

Bolsas da Ásia fecham em alta, na expectativa por dados de inflação dos EUA

O índice acionário japonês Nikkei subiu 0,34% em Tóquio

O índice acionário japonês Nikkei subiu 0,34% em Tóquio


Yuki IWAMURA / AFP/ JC
As bolsas asiáticas fecharam em alta nesta quinta-feira (10), à espera de dados de inflação dos EUA que podem influenciar a direção da política monetária da maior economia do mundo. O índice acionário japonês Nikkei subiu 0,34% em Tóquio, a 28.958,56 pontos, enquanto o sul-coreano Kospi avançou 0,26% em Seul, a 3.224,64 pontos, e o Taiex registrou ganho de 1,14% em Taiwan, a 17.159,22 pontos.
As bolsas asiáticas fecharam em alta nesta quinta-feira (10), à espera de dados de inflação dos EUA que podem influenciar a direção da política monetária da maior economia do mundo. O índice acionário japonês Nikkei subiu 0,34% em Tóquio, a 28.958,56 pontos, enquanto o sul-coreano Kospi avançou 0,26% em Seul, a 3.224,64 pontos, e o Taiex registrou ganho de 1,14% em Taiwan, a 17.159,22 pontos.
Na China continental, os mercados também ficaram no azul, impulsionados por ações de montadoras e ligadas à energia renovável. O Xangai Composto se valorizou 0,54%, a 3.610,86 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto teve alta de 1,09%, a 2.422,58 pontos.
Já o Hang Seng ficou praticamente estável em Hong Kong, com perda marginal de 0,01%, a 28.738,88 pontos.
Desde o começo da semana, há muita expectativa para o índice de preços ao consumidor (CPI) de maio dos EUA, que será divulgado na manhã desta quinta. Nos últimos meses, cresceram temores de que a tendência de alta da inflação global, resultado do processo de retomada da economia mundial, leve grandes bancos centrais a reverter antes do previsto as agressivas medidas de estímulo monetário que adotaram em reação à pandemia de covid-19.
Em abril, a taxa anual do CPI dos EUA ficou em 4,2%, maior nível desde 2008 e muito acima da meta oficial de inflação de 2% do Fed, como é conhecido o BC americano.
Os últimos números da China, publicados nesta semana, também mostram aceleração dos preços locais. A inflação anual ao produtor, por exemplo, saltou para 9% em maio, alcançando o maior patamar em quase 13 anos.
Hoje também é dia de decisão de política monetária do Banco Central Europeu (BCE), mas o assunto ficou em segundo plano diante das preocupações com a inflação.
Na Oceania, a bolsa australiana seguiu o tom positivo da Ásia e terminou o pregão desta quinta-feira com novo recorde. O S&P/ASX 200 avançou 0,44% em Sydney, ao nível inédito de 7.302,50 pontos. (Com informações da Dow Jones Newswires).
 
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário