Porto Alegre, quinta-feira, 10 de junho de 2021.
Dia da Língua Portuguesa.
Porto Alegre,
quinta-feira, 10 de junho de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Empresas

- Publicada em 03h00min, 10/06/2021.

Pedidos de recuperação judicial crescem 48,4% em maio

Número total de solicitações caiu 2,1% frente ao mesmo mês de 2020

Número total de solicitações caiu 2,1% frente ao mesmo mês de 2020


TRAMONTINA/DIVULGAÇÃO/JC
A Serasa Experian aponta que 92 pedidos de recuperação judicial foram feitos no último mês de maio, aumento de 48,4% em relação a abril. Na visão por segmento, serviços continua se destacando, com 62 pedidos em maio de 2021, seguido por comércio (15) e indústria (12).
A Serasa Experian aponta que 92 pedidos de recuperação judicial foram feitos no último mês de maio, aumento de 48,4% em relação a abril. Na visão por segmento, serviços continua se destacando, com 62 pedidos em maio de 2021, seguido por comércio (15) e indústria (12).
Por outro lado, houve queda de 2,1% no total de solicitações na comparação com maio do ano passado. As companhias de menor porte, no entanto, foram na contramão e apresentaram crescimento no período, indo de 54 em maio de 2020 para 60 no mesmo mês deste ano.
Segundo a Serasa, os empreendimentos micro ou pequenos representam 92,4% do total de pessoas jurídicas com contas negativadas.
"Os 'abre e fecha' impactam diretamente as companhias menores, que não contam com reservas e enfrentam a redução das linhas de crédito especiais. Por isso, elas ainda patinam na recuperação e são maioria nesses indicadores", comenta Luiz Rabi, economista da Serasa Experian.
As requisições de falências cresceram 58,5% na análise mensal entre maio e abril de 2021. Foram 103 pedidos no mês, dos quais 70 foram feitos por micro e pequenas empresas. Houve alta também no comparativo com maio de 2020, de 28,8%.

Latam pede para apresentar plano de recuperação em 15 de setembro

A Latam entregou à corte norte-americana pedido para extensão para até 15 de setembro da data de entrega de seu plano para reestruturação de mais de US$ 10 bilhões em dívidas. A companhia tinha 31 de julho como data limite para levar um plano à Justiça a ser apresentado para seus credores.

Na petição entregue à Corte de Falências do Distrito de Nova York, obtido pelo Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, a Latam pede mais tempo devido à complexidade e tamanho de sua dívida, o que exige passos adicionais. Segundo a Latam, a companhia está iniciando o processo de encontros com várias de suas principais contrapartes para discutir um plano de negócios e dar início as negociações relacionadas à estrutura do plano. A Latam cita que a premissa de extensão se faz necessária também diante das circunstâncias atípicas do atual momento vivido pelo setor com a pandemia.

A aproximação da Azul com credores da Latam, especialmente os arrendadores de aeronaves, para que apresentem um plano alternativo, aumenta a pressão contra a Latam para apresentar um plano mais bem desenhado. A ideia da Azul é tentar adquirir as operações brasileiras da Latam, o que poderia constar como opção no plano alternativo.

A legislação de recuperação judicial e falências dos EUA permite que credores apresentem planos alternativos, se o da própria empresa for rejeitado por eles.

Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário