Porto Alegre, quinta-feira, 20 de maio de 2021.
Porto Alegre,
quinta-feira, 20 de maio de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Mercado Financeiro

- Publicada em 18h23min, 20/05/2021.

Bolsas de NY fecham em alta com correção de quedas recentes e apetite por ações

O Dow Jones encerrou em alta de 0,55%, a 33.884,15 pontos

O Dow Jones encerrou em alta de 0,55%, a 33.884,15 pontos


MARCELLO CASAL JR/AGÊNCIA BRASIL/JC
As bolsas de Nova York fecharam em alta nesta , em uma recuperação depois de caírem nos últimos dias. Uma das correções mais relevantes ocorreu no setor de tecnologia, levando o Nasdaq a uma alta que chegou a superar os 2% durante a sessão. O movimento ocorreu em meio a um recuo nos rendimentos dos Treasuries. Enquanto o mercado observa as perspectivas para inflação e consequentes ações do Federal Reserve (Fed), após a divulgação ontem da ata referente à última reunião de política monetária, a publicação hoje de números sobre o emprego no país contribuiu com o apetite por risco.
As bolsas de Nova York fecharam em alta nesta , em uma recuperação depois de caírem nos últimos dias. Uma das correções mais relevantes ocorreu no setor de tecnologia, levando o Nasdaq a uma alta que chegou a superar os 2% durante a sessão. O movimento ocorreu em meio a um recuo nos rendimentos dos Treasuries. Enquanto o mercado observa as perspectivas para inflação e consequentes ações do Federal Reserve (Fed), após a divulgação ontem da ata referente à última reunião de política monetária, a publicação hoje de números sobre o emprego no país contribuiu com o apetite por risco.
O Dow Jones encerrou em alta de 0,55%, a 34.084,15 pontos, enquanto o S&P 500 subiu 1,06%, a 4.159,12 pontos, e o Nasdaq avançou 1,77%, a 13.535,74 pontos.
Após três dias de cautela, em meio a temores de inflação, reforçados pela ata do Fed ontem, investidores aproveitam indicadores econômicos sólidos dos EUA para comprar ações. A divulgação do número de pedidos de auxílio-desemprego nos EUA, que caíram para 444 mil na semana encerrada no dia 15, enquanto analistas esperavam queda a 452 mil, impulsionou as bolsas.
"Embora os temores de inflação tenham tirado algum fôlego do mercado de ações recentemente, ainda pensamos que os papéis nos EUA e em outros lugares terão ganhos adicionais nos próximos anos", avalia a Capital Economics. O excesso de inflação "pode significar problemas para as ações se resultar em uma política monetária mais rígida ou em um crescimento mais lento", pontua a consultoria. No entanto, a análise projeta que a economia dos EUA deve seguir crescendo, e que o Fed irá manter sua política acomodatícia por algum tempo, com uma normalização ocorrendo de forma "muito gradual".
Um dos resultados da publicação da ata do Fed ontem foi uma alta nos rendimentos dos Treasuries, movimento que vem frequentemente atrelado a uma pressão sobre as ações de tecnologia. Com a tendência revertida hoje, o setor teve algumas recuperações. Facebook (+1,60%), Apple (+2,10%), Microsoft (+1,38%) e Alphabet (+1,56%), que controla o Google, subiram. A Tesla, com alguns dos recuos recentes mais importantes, teve alta de 4,14%. O movimento ocorre em meio a uma recuperação das perdas no preço do bitcoin, fator que pressionou a empresa e parte do setor de tecnologia nos últimos dias.
Em dia marcado pela notícia de que a Ford está buscando uma aproximação com a sul-coreana SK Innovation para o desenvolvimento de baterias para carros elétricos, as ações da montadora tiveram alta de 3,22%.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário