Porto Alegre, terça-feira, 18 de maio de 2021.
Porto Alegre,
terça-feira, 18 de maio de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Logística

- Publicada em 20h54min, 17/05/2021. Atualizada em 16h05min, 18/05/2021.

Ecoparque Lourenço & Souza deve ser finalizado até setembro em Sapucaia do Sul

Investimento ultrapassa R$ 50 milhões e deve gerar cerca de 900 empregos diretos

Investimento ultrapassa R$ 50 milhões e deve gerar cerca de 900 empregos diretos


Ecoparque Lourenço & Souza/Divulgação/JC
Adriana Lampert
Com investimento de mais de R$ 50 milhões, a segunda etapa do Ecoparque Empresarial Lourenço & Souza, em Sapucaia do Sul, deve ser finalizada até setembro deste ano. Segundo o sócio-diretor da Chico Imóveis, Filipe Christianetti, a comercialização dos espaços já está em fase avançada, com mais da metade dos contratos de locação fechados com empresas das áreas de logística, e-commerce e serviços ligados ao setor logístico. Um dos empreendedores que aderiram foi o jogador do Grêmio Douglas Costa. "A demanda está intensa", afirma Christianetti.
Com investimento de mais de R$ 50 milhões, a segunda etapa do Ecoparque Empresarial Lourenço & Souza, em Sapucaia do Sul, deve ser finalizada até setembro deste ano. Segundo o sócio-diretor da Chico Imóveis, Filipe Christianetti, a comercialização dos espaços já está em fase avançada, com mais da metade dos contratos de locação fechados com empresas das áreas de logística, e-commerce e serviços ligados ao setor logístico. Um dos empreendedores que aderiram foi o jogador do Grêmio Douglas Costa. "A demanda está intensa", afirma Christianetti.
Empresa que ficará responsável pela gestão do empreendimento, a Chico Imóveis desenvolveu o projeto do parque empresarial com foco em logística, juntamente com a Grepol Engenharia e Construções e a Construsinos. Nesta etapa, serão entregues 30 mil m², que se somarão a outros 20 mil m² que foram adquiridos pela Lourenço & Souza em 2016. De propriedade do deputado estadual Vilmar Lourenço (PSL) e da família da vice-prefeita de Sapucaia do Sul, Imília de Souza (PRTB), o empreendimento tem posicionamento diferenciado, dentro de um eixo urbano com acesso a várias rodovias, estando localizado a 100 metros da BR-116 e nas proximidades da BR-448, RS-118 e BR-290.
"Outro diferencial é que o Ecoparque está sendo construído em uma cidade com grande oferta de mão de obra, o que é muito positivo para as empresas que se instalarem por lá", observa Christianetti. "A estratégia deste empreendimento logístico e multisetorial é colocar padrão internacional de construção à disposição ao uso dos empreendedores", destaca, citando a altura dos pavilhões de até 12 metros, a capacidade de carga de seis toneladas por metro quadrado e o "conjunto de benfeitorias para uso comum". O local terá edifício tecnológico, edifício garagem com 300 vagas, heliponto privativo (que poderá ser usado por outras empresas da região, refeitório com capacidade para 2 mil refeições diárias e centro de eventos para mais de 400 pessoas, entre outras características.
Ainda de acordo com o sócio-diretor da empresa que irá responder pela gestão do Ecoparque, o terreno do empreendimento tem 230 mil m² de área, e a previsão é de que sejam construídos pelo menos 100 mil m². O plano de expansão conta ainda com a construção de mais 80 mil m² em 2022 e finalização de outros 20 mil m² até 2023. Até lá serão investidos R$ 150 milhões e devem ser gerados mais de 2,5 mil empregos diretos e 10 mil indiretos.
"O restante da área (130 mil m²) é uma reserva para futuras expansões, de acordo com o momento do mercado", observa o sócio-diretor da Chico Imóveis. Ao lembrar que Sapucaia do Sul é conhecida por ser uma cidade dormitório (com a maior parte da população se deslocando para trabalhar em municípios vizinhos), Christianetti afirma que o parque logístico multisetorial é uma "oportunidade de transformação social, que vai gerar receita e movimentar a economia local". "No que se refere à locação, as empresas que aderirem estarão bem instaladas, em um imóvel de padrão internacional, com acesso diferenciado, e mão de obra próxima."
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário