Porto Alegre, segunda-feira, 10 de maio de 2021.
Porto Alegre,
segunda-feira, 10 de maio de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

mercado financeiro

- Publicada em 15h26min, 10/05/2021. Atualizada em 15h28min, 10/05/2021.

Ouro fecha em alta e atinge maior nível em três meses

Ouro com entrega prevista para o mês que vem encerrou a sessão com ganhos de 0,34%

Ouro com entrega prevista para o mês que vem encerrou a sessão com ganhos de 0,34%


VISUALHUNT.COM/DIVULGAÇÃO/JC
O contrato mais líquido do ouro fechou em alta nesta segunda-feira (10) seguindo o movimento da última semana, quando o metal teve o maior avanço semanal em seis meses, alcançando nesta segunda-feira o maior valor em três meses. O relatório de empregos nos Estados Unidos de abril, publicado na sexta-feira, ainda era alvo de observação pelo mercado, uma vez que reforçou a visão de que o Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) irá manter sua política de apoio por algum tempo.
O contrato mais líquido do ouro fechou em alta nesta segunda-feira (10) seguindo o movimento da última semana, quando o metal teve o maior avanço semanal em seis meses, alcançando nesta segunda-feira o maior valor em três meses. O relatório de empregos nos Estados Unidos de abril, publicado na sexta-feira, ainda era alvo de observação pelo mercado, uma vez que reforçou a visão de que o Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) irá manter sua política de apoio por algum tempo.
O ouro com entrega prevista para o mês que vem encerrou a sessão com ganhos de 0,34%, cotado a US$ 1.837,60 a onça-troy na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex).
"O relatório decepcionante do mercado de trabalho dos EUA de sexta-feira forneceu mais ventos favoráveis para o ouro, empurrando os preços para as máximas em vários meses", aponta o Julius Baer. Por outro lado, questão observada recentemente para os preços do metal, os rendimentos dos Treasuries operaram em alta durante a sessão de hoje, limitando os ganhos do ouro, já que ambos concorrem como ativos seguros.
O ouro avança com a perspectiva de manutenção da política acomodatícia do Fed buscando a retomada de empregos, o que aumenta os temores de inflação no país. Na visão do Julius Baer, "embora a questão da inflação esteja ganhando destaque por várias razões, nenhuma delas deve elevar os preços do ouro de forma duradoura".
O banco suíço avalia que "continuamos a enfrentar uma inflação boa, resultante da recuperação econômica, e não uma inflação ruim, sinalizando uma perda de confiança nas principais moedas do mundo". Desta forma, a instituição financeira mantém um panorama "neutro" para o ouro.
Nesta semana, o mercado aguarda a publicação do índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) dos EUA em abril na quarta-feira.
Na visão do Commerzbank, o ouro está sendo favorecido por preocupações com a inflação, que deve ser ainda mais alimentada pelos dados. O banco alemão projeta altas como resultado da "pressão crescente de preços devido a cadeias de fornecimento de produtos primários interrompidas e demanda robusta".
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário