Porto Alegre, terça-feira, 27 de abril de 2021.
Porto Alegre,
terça-feira, 27 de abril de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Petróleo

- Publicada em 17h26min, 27/04/2021.

Petróleo fecha em alta após Opep+ reafirmar acordo para conter oferta

O Brent para julho, que agora é o contrato mais líquido, subiu 1,29%, a US$ 65,87

O Brent para julho, que agora é o contrato mais líquido, subiu 1,29%, a US$ 65,87


ROBYN BECK/AFP/JC
O petróleo fechou em alta nesta terça-feira (27) após a Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados, grupo conhecido como Opep+, reafirmar o acordo para conter a oferta da commodity. Ainda assim, as preocupações com a escalada da pandemia de covid-19 em países como a Índia permanecem como pano de fundo.
O petróleo fechou em alta nesta terça-feira (27) após a Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados, grupo conhecido como Opep+, reafirmar o acordo para conter a oferta da commodity. Ainda assim, as preocupações com a escalada da pandemia de covid-19 em países como a Índia permanecem como pano de fundo.
Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o barril do WTI para junho avançou 1,66%, a US$ 62,94. O Brent para julho, que agora é o contrato mais líquido, subiu 1,29%, a US$ 65,87 o barril, na Intercontinental Exchange (ICE).
Em comunicado divulgado nesta terça, a Opep+ afirma que a taxa de cumprimento do acordo de corte na produção ficou em 115% em março. O grupo destaca também que o crescimento econômico no mundo deve ganhar impulso no segundo semestre, mas que um aumento do número de novos casos de covid-19 é algo potencialmente negativo para a recuperação da demanda de petróleo.
O chefe de pesquisa em commodities do Commerzbank, Eugen Weinberg, avalia em um relatório enviado a clientes que a produção de petróleo na Líbia deve se recuperar de forma rápida, depois de ter diminuído recentemente, o que coloca pressão sobre os preços do petróleo. "Por outro lado, nenhum acordo parece que será alcançado em um futuro próximo entre os EUA e o Irã", pondera o analista do banco alemão. Os dois países retomaram nas últimas semanas as negociações sobre o acordo nuclear de 2015.
Na visão do analista de mercado financeiro Edward Moya, da Oanda, apesar do efeito da piora da pandemia na Índia e no Japão para a demanda de petróleo, a perspectiva melhorou "dramaticamente" na Europa, onde a campanha de imunização começa a engrenar.
Para a Capital Economics, depois de um salto no começo do ano, os preços das commodities cairão novamente até o fim de 2021. A consultoria britânica espera que o preço do Brent chegue a US$ 75 o barril no terceiro trimestre, mas depois retorne a US$ 70 o barril. A projeção para o WTI, por sua vez, aponta para um pico de US$ 72 o barril e, na sequência, um recuo a US$ 67 o barril, em igual período.
No final da tarde desta terça, serão divulgadas ainda as estimativas do American Petroleum Institute (API) para os estoques de petróleo nos EUA na semana passada.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário