Porto Alegre, terça-feira, 20 de abril de 2021.
Porto Alegre,
terça-feira, 20 de abril de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

mercado financeiro

- Publicada em 15h40min, 20/04/2021.

Ouro fecha em alta, com cautela por Covid-19 e recuo em rendimentos de Treasuries

Ouro para junho encerrou a sessão com alta de 0,44%, a US$ 1.778,40 a onça-troy

Ouro para junho encerrou a sessão com alta de 0,44%, a US$ 1.778,40 a onça-troy


VISUALHUNT.COM/DIVULGAÇÃO/JC
O contrato mais líquido do ouro fechou em alta nesta terça-feira (20) em sessão marcada pela cautela no mercado por conta do avanço da Covid-19, e um recuo nos rendimentos dos Treasuries. Outro elemento observado são as importações chinesas, que apresentam sinais de aumento, sugerindo um cenário de alta para os preços do metal.
O contrato mais líquido do ouro fechou em alta nesta terça-feira (20) em sessão marcada pela cautela no mercado por conta do avanço da Covid-19, e um recuo nos rendimentos dos Treasuries. Outro elemento observado são as importações chinesas, que apresentam sinais de aumento, sugerindo um cenário de alta para os preços do metal.
Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o ouro com entrega prevista para junho encerrou a sessão com alta de 0,44%, a US$ 1.778,40 a onça-troy.
Com preocupação pelo quadro da pandemia em diversas regiões do mundo, como Europa, Índia e Brasil, e mesmo uma avanço no número de casos nos Estados Unidos, o cenário é de cautela nos mercados, com o ouro aparecendo como um refúgio. "O processo de recuperação não é uma via de mão única e contratempos também devem ser esperados de vez em quando", aponta o Commerzbank.
Ontem, a alta nos rendimentos dos Treasuries havia pressionado o ouro durante a sessão, com destaque para os juros da T-note de 10 anos, que chegaram a ultrapassar os 1,60%. Com a tendência revertida hoje, o metal foi impulsionado. Durante grande parte da sessão, o dólar operando perto da estabilidade ante rivais não teve grande efeito nos preços do metal, mas a valorização próxima ao fim do pregão limitou os ganhos.
"Notícias da China também ajudaram a elevar os preços do ouro nos últimos dias", avalia o Commerzbank. O Banco do Povo da China (PBoC, na sigla em inglês) deu permissão aos bancos comerciais para importar grandes quantidades de metal, com as cotas aumentando nas últimas semanas.
De acordo com um relatório, 150 toneladas de ouro poderão ser embarcadas para a China em abril e maio, o que seria mais do que o dobro do que foi importado para o país via Hong Kong e Suíça em todo o ano passado. "O aumento da demanda da China novamente seria um fator importante para a alta dos preços do ouro", conclui o banco alemão.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário