Porto Alegre, quinta-feira, 08 de abril de 2021.
Dia Mundial do Combate ao Câncer.
Porto Alegre,
quinta-feira, 08 de abril de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

indústria

- Publicada em 11h24min, 08/04/2021.

Indústria gaúcha recua 1,1% em fevereiro, segundo o IBGE

Na comparação com fevereiro de 2020, a produção industrial gaúcha subiu 7,9%

Na comparação com fevereiro de 2020, a produção industrial gaúcha subiu 7,9%


JON KLINE/DIVULGAÇÃO/JC
A produção industrial do Rio Grande do Sul registrou queda de 1,1% em fevereiro na comparação com janeiro, segundo os dados Pesquisa Industrial Mensal Regional (PIM Regional) divulgada nesta quinta-feira (08) pelo IBGE. O resultado gaúcho acompanhou o desempenho negativo de outros 14 locais pesquisados, que foi puxado por São Paulo (-1,3%).
A produção industrial do Rio Grande do Sul registrou queda de 1,1% em fevereiro na comparação com janeiro, segundo os dados Pesquisa Industrial Mensal Regional (PIM Regional) divulgada nesta quinta-feira (08) pelo IBGE. O resultado gaúcho acompanhou o desempenho negativo de outros 14 locais pesquisados, que foi puxado por São Paulo (-1,3%).
Na comparação com o mesmo mês do ano passado, as fábricas do Rio Grande do Sul tiveram o segundo melhor desempenho do País, ficando atrás apenas de Santa Catarina (8,1%) e apresentaram crescimento de 7,9%. As principais influências positivas para a indústria do RS em relação a fevereiro de 2020 vieram dos setores de máquinas e equipamentos (47%), produtos de metal (27,7%), fabricação de móveis (15,7%) e de metalurgia (15,5%) e produtos de borracha e plástico (15,5%). O levantamento do IBGE não traz os dados dos setores para a comparação com janeiro deste ano.
No acumulado do ano, frente a igual período de 2020, a expansão na produção nacional alcançou oito dos 15 locais pesquisados, com destaque para Santa Catarina (9,5%), Rio Grande do Sul (8,4%), Minas Gerais (7,8%) e Paraná (7,1%).
O acumulado dos últimos doze meses (-4,2%) em fevereiro de 2021, repetiu o resultado de janeiro último, seu recuo menos intenso desde abril de 2020 (-2,9%). Treze dos 15 locais pesquisados assinalaram taxas negativas em fevereiro de 2021, mas em quatro deles os recuos foram menos intensos do que em janeiro último. Minas Gerais (de -1,3% para -0,5%), São Paulo (de -5,7% para -5,1%), Rio Grande do Sul (de -4,8% para -4,3%) e Santa Catarina (de -3,6% para -3,1%) mostraram os avanços entre janeiro e fevereiro de 2021.
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário