Porto Alegre, quarta-feira, 07 de abril de 2021.
Dia do Jornalista. Dia Mundial da Saúde.
Porto Alegre,
quarta-feira, 07 de abril de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

mercado financeiro

- Publicada em 15h00min, 07/04/2021.

Ouro fecha em leve baixa, à espera de sinalizações na ata do Fed

Ouro com entrega para junho encerrou a sessão com perda de 0,08%, a US$ 1.740,1 a onça-troy

Ouro com entrega para junho encerrou a sessão com perda de 0,08%, a US$ 1.740,1 a onça-troy


VISUALHUNT.COM/DIVULGAÇÃO/JC
O contrato futuro de ouro mais líquido fechou em leve baixa nesta quarta-feira (7) enquanto investidores aguardam sinalizações do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) na ata referente à mais recente reunião de política monetária da instituição, a ser divulgada no período da tarde.
O contrato futuro de ouro mais líquido fechou em leve baixa nesta quarta-feira (7) enquanto investidores aguardam sinalizações do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) na ata referente à mais recente reunião de política monetária da instituição, a ser divulgada no período da tarde.
Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o ouro com entrega prevista para junho encerrou a sessão com perda de 0,08%, a US$ 1.740,1 a onça-troy.
Nos últimos dias, o metal precioso registrou uma sequência de ganhos, ignorando dados econômicos positivos dos Estados Unidos, que tendem a prejudicar o ativo, considerado reserva de segurança. Na visão do Commerzbank, isso ocorre porque não há sinais de que o Fed pretende apertar a política monetária em um futuro próximo.
O banco considera improvável que a ata do último encontro da instituição traga alguma mudança na postura. "Consequentemente, a recuperação do preço do ouro pode continuar por algum tempo ainda. Dito isso, seu potencial de alta acima da marca de US $ 1.750 por onça troy provavelmente diminuirá gradualmente", prevê.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO