Porto Alegre, quarta-feira, 24 de março de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 24 de março de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Energia

- Publicada em 03h00min, 24/03/2021.

Mudança em bandeiras tarifárias alivia conta de luz, diz Aneel

Aneel sugere mais 10% no custo da vermelha 1 e 2% na vermelha 2

Aneel sugere mais 10% no custo da vermelha 1 e 2% na vermelha 2


JOÃO MATTOS/ARQUIVO/JC
A área técnica da Aneel (Agência Nacional de Energia Eletrica) defende que, mesmo com a proposta de aumento no preço das bandeiras tarifárias vermelha patamar 1 e patamar 2, o custo médio para o consumidor deve cair ao longo do ano, já que a bandeira amarela terá seu custo reduzido.
A área técnica da Aneel (Agência Nacional de Energia Eletrica) defende que, mesmo com a proposta de aumento no preço das bandeiras tarifárias vermelha patamar 1 e patamar 2, o custo médio para o consumidor deve cair ao longo do ano, já que a bandeira amarela terá seu custo reduzido.
A proposta será debatida em audiência pública até o dia 7 de maio, com o objetivo, segundo a agência, de aprimorar o sistema de bandeiras, que tem o objetivo de custear a operação de usinas térmicas em períodos de seca nos reservatórios das hidrelétricas.A Aneel sugere aumentar em 10% o custo da bandeira vermelha patamar 1 e em 21% do custo da bandeira vermelha patamar 2, a maior delas. Assim, a primeira passaria de R$ 4,17 para R$ 4,60 por kWh (quilowatt-hora) e a segunda, de R$ 6,24 para R$ 7,57 por kWh.Já a bandeira amarela, vigente atualmente, cairia 26%, de R$ 1,34 para R$ 0,99 por kWh consumido.
A área técnica afirmou que, como essa faixa é mais frequente, a mudança traria alívio para o consumidor."Em que pese os números dos estratos vermelhos das bandeiras tarifárias refletirem aumentos mais expressivos isoladamente, ao se examinar uma janela de aplicação do mecanismo, a frequência de aplicação desses patamares tende a ser menor, com consequentes impacto inferiores na tarifa", escreveu o diretor Sandoval Feitosa em relatório no processo de abertura da audiência.
O sistema de bandeiras tarifárias começou a vigorar em 2015. O patamar é definido uma vez por mês, para refletir os custos variáveis da geração de energia no país: a bandeira verde, por exemplo, representa condições favoráveis para a geração de energia.
Comentários CORRIGIR TEXTO