Porto Alegre, terça-feira, 23 de março de 2021.
Dia Mundial do Meteorologista.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 23 de março de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Petróleo

- Publicada em 18h41min, 23/03/2021.

Petróleo cai 6%, com cautela por restrições para conter covid e dólar fortalecido

O barril do petróleo WTI com entrega prevista para maio encerrou a sessão com recuo de 6,17%, a US$ 57,76

O barril do petróleo WTI com entrega prevista para maio encerrou a sessão com recuo de 6,17%, a US$ 57,76


ROBYN BECK/AFP/JC
Os contratos futuros de petróleo fecharam em forte baixa, seguindo cautela do mercado por conta de novas restrições para tentar conter a Covid-19, especialmente na Europa, que ampliam as dúvidas sobre o ritmo de retomada da demanda pela commodity. O dólar forte também contribuiu para a queda, ao tornar o petróleo mais caro para detentores de outras divisas.
Os contratos futuros de petróleo fecharam em forte baixa, seguindo cautela do mercado por conta de novas restrições para tentar conter a Covid-19, especialmente na Europa, que ampliam as dúvidas sobre o ritmo de retomada da demanda pela commodity. O dólar forte também contribuiu para a queda, ao tornar o petróleo mais caro para detentores de outras divisas.
Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o barril do petróleo WTI com entrega prevista para maio encerrou a sessão com recuo de 6,17%, a US$ 57,76. Já o barril do petróleo Brent para o mesmo mês caiu 5,93% nesta terça, a US$ 60,79, na Intercontinental Exchange (ICE).
Especialistas avaliam que várias nações europeias enfrentam uma terceira onda de casos de Covid-19. Na Alemanha, o governo decidiu estender o lockdown até 18 de abril, enquanto a França informou na segunda-feira que 4,5 mil pessoas estão em unidades de terapia intensiva, o maior número desde novembro de 2020. Já Portugal revelou que deve continuar em estado de emergência até, pelo menos, maio. Na Holanda, o primeiro-ministro, Mark Rutte, afirmou que o toque de recolher noturno no país deve durar ao menos até 20 de abril.
O analista do Commerzbank Carsten Fritsch destaca que no mercado à vista, o barril de Brent é negociado "com um desconto favorável". "Isso indica bastante oferta de petróleo", explica.
Observando o panorama em prazo mais longo, o Barclays avalia que há espaço para alta nos preços impulsionada pela recuperação na demanda e a "cautela de produtores". "Os preços subiram quase 25% no acumulado do ano, mas continuamos construtivos em relação à curva".
Em relatório, o banco afirma que espera que Brent e WTI registrem preço médio de US$$ 66 e US$ 62, respectivamente, neste ano e US$ 71 e US$ 68 em 2022.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO